• SÃO PAULO • 31 DE JULHO DE 2011 • ANO 35 • Lt 06 • Nº 45 • A •

agosto 29, 2011

18º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 

Anim. Nesta reunião dominical, o Senhor nos alimenta gratuitamente com o Pão do Céu, realizando,
assim, a profecia dos novos tempos, quando todos poderão comer e beber com fartura sem nada pagar. O milagre da multiplicação dos pães já é indício de que o tempo da graça chegou. Celebremos, pois, esta Eucaristia, e alimen­temo-nos com o Pão da vida e da imortalidade.

 

RITOS INICIAIS

1. ABERTURA Sl 32(33) (HL 3, p. 124)

(Fx 24)

Meu Deus, vem libertar-me, * não demores, Senhor, em socorrer! * Só tu és o meu arrimo, * libertador, vem depressa me valer!

1. A nação que ele governa * é feliz com tal Senhor. * Lá do céu ele vê tudo, * vê o homem e seu valor. * Fez o nosso coração * forte e contemplador.

2. O que dá a vitória ao rei * não é ter muitos soldados. * O valente não se livra * por sua força ou seus cuidados. * Quem confia nos cavalos * vai, no fim, ser derrotado.

3. Ó Senhor protege sempre * quem espera em seu amor, * pra livrar da triste morte, * e, na fome, dar vigor. * No Senhor é que esperamos, * ele é escudo protetor.

4. Nele, nosso coração * encontrou sempre alegria. * No seu nome sacrossanto * quem é bom, sempre confia. * Traze, Senhor, com teu amor, * esperança e alegria!

 

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

3. ATO PENITENCIAL

P. No início desta celebração eucarística, peçamos a conversão do coração, fonte de reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs.

(Silêncio)

P. Senhor, que sois a plenitude da verdade e da graça, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, que vos tornastes pobre para nos enriquecer, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, que viestes para fazer de nós o vosso povo santo, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

 

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas, T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

 

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Manifestai, ó Deus, vossa inesgotável bondade para com os filhos e filhas que vos imploram e se gloriam de vos ter como criador e guia, restaurando para eles a vossa criação, e conservando-a renovada. Por N.S.J.C.

T. Amém.

 

Liturgia da palavra

Anim. Assim como as multidões ouviam com prazer as palavras de Jesus, ouçamos as leituras sagradas, para que possamos nos transformar em novas criaturas.

 

6. PRIMEIRA LEITURA (Is 55,1-3)

Leitura do Livro do Profeta Isaías

Assim diz o Senhor:

1“Ó vós todos que estais com sede, vinde às águas;

vós que não tendes dinheiro, apressai-vos,

vinde e comei, vinde comprar sem dinheiro,

tomar vinho e leite, sem nenhuma paga.

2Por que gastar dinheiro com outra coisa que não o pão,

desperdiçar o salário senão com satisfação completa?

Ouvi-me com atenção, e alimentai-vos bem,

para deleite e revigoramento do vosso corpo.

3Inclinai vosso ouvido e vinde a mim,

ouvi e tereis vida;

farei convosco um pacto eterno,

manterei fielmente as graças concedidas a Davi”.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

7. SALMO RESPONSORIAL 144 (145)

(HL3 p. 141 – Fx 21)

Vós abris a vossa mão * e saciais os vossos filhos.

1. Misericórdia e piedade é o Senhor, * ele é amor, é paciência, é compaixão. * O Senhor é muito bom para com todos * sua ternura abraça toda criatura.

2. Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam * e vós lhes dais no tempo certo o alimento. * Vós abris a vossa mão prodigamente * e saciais todo ser vivo com fartura.

3. É justo o Senhor em seus caminhos, * é santo em toda obra que ele faz. * Ele está perto da pessoa que o invoca, * de todo aquele que o invoca lealmente.

 

8. SEGUNDA LEITURA (Rm 8,35.37-39)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

35Quem nos separará do amor de Cristo?

Tribulação? Angústia? Perseguição?

Fome? Nudez? Perigo? Espada?

37Em tudo isso, somos mais que vencedores,

graças àquele que nos amou!

38Tenho a certeza de que nem a morte, nem a vida,

nem os anjos, nem os poderes celestiais,

nem o presente, nem o futuro,

nem as forças cósmicas,

39nem a altura, nem a profundeza,

nem outra criatura qualquer,

será capaz de nos separar do amor de Deus por nós,

manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor.

-Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(HL 3, p. 213-214 – Fx 25)

 Aleluia, Aleluia, Aleluia. (bis)

O homem não vive só de pão * mas de toda palavra que sai * da boca de Deus, não só de pão. * Amém! Aleluia! Aleluia!

 

10. EVANGELHO (Mt 14,13-21)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo,

13quando soube da morte de João Batista, Jesus partiu

e foi de barco para um lugar deserto e afastado.

Mas, quando as multidões souberam disso,

saíram das cidades e o seguiram a pé.

14Ao sair do barco, Jesus viu uma grande multidão.

Encheu-se de compaixão por eles

e curou os que estavam doentes.

15Ao entardecer,

os discípulos aproximaram-se de Jesus

e disseram:

“Este lugar é deserto e a hora já está adiantada.

Despede as multidões,

para que possam ir aos povoados comprar comida!”

16Jesus porém lhes disse:

“Eles não precisam ir embora.

Dai-lhes vós mesmos de comer!”

17Os discípulos responderam:

“Só temos aqui cinco pães e dois peixes”.

18Jesus disse:

“Trazei-os aqui”.

19Jesus mandou que as multidões se sentassem na grama.

Então pegou os cinco pães e os dois peixes,

ergueu os olhos para o céu e pronunciou a bênção.

Em seguida partiu os pães, e os deu aos discípulos.

Os discípulos os distribuíram às multidões.

20Todos comeram e ficaram satisfeitos,

e dos pedaços que sobraram,

recolheram ainda doze cestos cheios.

21E os que haviam comido

eram mais ou menos cinco mil homens,

sem contar mulheres e crianças.

- Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

 

11. HOMILIA

 

12. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra,/ e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; /ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja Católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna.

 

13. ORAÇÃO DOS FIÉIS

Irmãos e irmãs, elevemos nossas preces a Deus Pai, que, além do pão de cada dia, não nos deixa faltar a Eucaristia, a fim de nos fortalecer para a luta cotidiana e nos alimentar com o Pão da eternidade. Rezemos:

T. Atendei, Senhor, ao nosso clamor.

1. Ó Pai, olhai a Igreja, para que multiplique o pão e fomente a comunhão.

2. Abençoai os que se esforçam para que todos vivam dignamente.

3. Iluminai as nossas pastorais, para que tenham como fonte e cume a Eucaristia.

4. Dai-nos a graça de vivermos nossa fé em profunda solidariedade com os excluídos.

5. Ajudai-nos a construir uma sociedade baseada na comunhão e na partilha.

(Outras preces comunitárias)

P. Tudo isso vós pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

liturgia eucarística

14. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS (Fx 23)

1. A mesa santa que preparamos, * mãos que se elevam a Ti, ó Senhor. * O pão e o vinho, frutos da terra, * duro trabalho, carinho e amor: * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô recebe, Senhor!

2. Flores, espinhos, dor e alegria, * pais, mães e filhos diante do altar. * A nossa oferta em nova festa, * a nossa dor vem, Senhor, transformar! * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô, recebe, Senhor!

3. A vida nova, nova família, * que celebramos aqui tem lugar. * Tua bondade vem com fartura, * é só saber reunir, partilhar. * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô, recebe, Senhor!

 

15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Dignai-vos, ó Deus, santificar estas oferendas e, aceitando este sacrifício espiritual, fazei de nós uma oferenda eterna para vós. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA VI-D (MR. p. 860)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Pai misericordioso e Deus fiel. Vós nos destes vosso Filho Jesus Cristo, nosso Senhor e Redentor. Ele sempre se mostrou cheio de misericórdia pelos pequenos e pobres, pelos doentes e pecadores, colocando-se ao lado dos perseguidos e marginalizados. Com a vida e a palavra anunciou ao mundo que sois Pai e cuidais de todos como filhos e filhas. Por essa razão, com todos os Anjos e Santos, nós vos louvamos e bendizemos, e proclamamos o hino de vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, que amais os seres humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na ver­­­dade, é bendito o vosso Filho, pre­­sente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como ou­­trora aos discípulos, ele nos revela as Escrituras e parte o pão para nós.

T. O vosso Filho permaneça entre nós!

CC. Nós vos suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e V o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.

T. Mandai o vosso Espírito Santo!

Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele, tomando o cálice em suas mãos, vos deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé.

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador, que pela paixão e morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção.

CC. Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresenta-mos o sacrifício pascal de Cristo, que vos foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos.

T. Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta!

1C. Senhor Deus, conduzi a vossa Igreja à perfeição na fé e no amor, em comunhão com o nosso Papa Bento, o nosso Bispo Odilo, com todos os Bispos, presbíteros e diáconos e todo o povo que conquistastes.

T. Confirmai o vosso povo na unidade!

2C. Dai-nos olhos para ver as necessidades e os sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs; inspirai-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos; fazei que, a exemplo de Cristo, e seguindo o seu mandamento, nos empenhemos lealmente no serviço a eles. Vossa Igreja seja testemunha viva da verdade e da liberdade, da justiça e da paz, para que toda a humanidade se abra à esperança de um mundo novo.

T. Ajudai-nos a criar um mundo novo!

3C. Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs (N.e N.), que adormeceram na paz do vosso Cristo, e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes: acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da ressurreição, a plenitude da vida.

T. Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna!

4C. Concedei-nos ainda, no fim da nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde viveremos para sempre convosco. E em comunhão com a bem-aventurada Virgem Maria, com os Apóstolos e Mártires, São Paulo, Patrono da nossa Arquidiocese, e todos os Santos, vos louvaremos e glorificaremos, por Jesus Cristo, vosso Filho.

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

 

rito da comunhão

17. RITO DA COMUNHÃO

P. Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor nos ensinou:

T. Pai nosso…

P. Livrai-nos de todos os males, ó Pai, e dai-nos hoje a vossa paz. Ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e protegidos de todos os perigos, enquanto, vivendo a esperança, aguardamos a vinda do Cristo Salvador.

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

P. Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade. Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo.

T. Amém.

P. A paz do Senhor esteja sempre convosco.

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

P. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

 

18. CANTO DE COMUNHÃO Sl 118(119)

(HL3, p. 253 – Fx 22)

Cinco pães e dois peixes tomou, * aos discípulos deu peixe e pão. * Os discípulos vão e repartem * e se farta a maior multidão. (bis)

1. Feliz quem anda com a verdade, * na lei de Deus, com integridade! * Feliz quem guarda seu mandamento * no coração, no pensamento!

2. Ah! Quem me dera, que, em meu andar, * teus mandamentos possa eu guardar! * Se os mandamentos obedecer, * não vai o mal acontecer!

3. Quando tuas leis eu aprender, * vou te louvar e agradecer! * Eu vou guardar teu mandamento, * mas, não me deixes no esquecimento.

4. Os que as maldades sabem evitar, * a estrada certa vão encontrar! * Senhor, tu deste os teus mandados, * para que sejam sempre guardados!

 

19. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Acompanhai, ó Deus, com proteção constante os que renovastes com o pão do céu e, como não cessais de alimentá-los, tornai-os dignos da salvação eterna. Por Cristo, nosso Senhor.     

T. Amém.

 

20. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

Ó São Paulo, /Santo Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

 

RITOS FInAIS

21. BÊNÇÃO E DESPEDIDA MR 526

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Que o Deus de toda consolação disponha na sua paz os vossos dias e vos conceda as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Sempre vos liberte de todos os perigos e confirme os vossos corações em seu amor.

T. Amém.

P. E assim, ricos em esperança, fé e caridade, possais viver praticando o bem e chegar felizes à vida eterna.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe.

T. Amém.

 

22. CANTO FINAL (HL3, p. 441 CO, Nº795)

1. Quero ouvir teu apelo, Senhor, * ao teu chamado de amor responder. * Na alegria te quero servir, * e anunciar o teu Reino de Amor!

E pelo mundo eu vou, cantando teu Amor, * pois disponível estou, * para servir-te Senhor! (bis)

2. Dia a dia, tua graça me dás, * nela se apóia o meu caminhar. * Se estás a meu lado, Senhor, * o que, então, poderei eu temer?

 

OPCIONAL (CO Nº 1201)

1.Maria de Nazaré, Maria me cativou. * fez mais forte a minha fé e por filho me adotou. * Às vezes eu paro e fico a pensar, * e sem perceber me vejo a rezar, * e meu coração se põe a cantar, * pra Virgem de Nazaré. * Menina que Deus amou e escolheu * pra Mãe de Jesus, o Filho de Deus. * Maria que o povo inteiro elegeu. * Senhora e Mãe do céu.

Ave, Maria, Ave, Maria! * Ave, Maria, Mãe do Senhor!

2. Maria que eu quero bem, Maria do puro amor. * Igual a você ninguém, Mãe pura do meu Senhor. * Em cada mulher que a terra criou * um traço de Deus Maria deixou, * um sonho de mãe Maria plantou * pro mundo encontrar a paz. * Maria que fez o Cristo falar, * Maria que fez Jesus caminhar. * Maria que só viveu pra seu Deus, * Maria do povo meu.

 

Músicas:

 • CD Liturgia VI (Ed. Paulus) • CO Cantos e Orações (Ed. Vozes)

 

LEITURAS DA SEMANA: de 1º a 7 de Agosto de 2011

 

2ª-: Nm 11, 4b-15; Sl 80 (81), 12-13. 14-15. 16-17 (R/. 2a); Mt 14, 22-36

l3ª-: Nm 12, 1-13; Sl 50 (51), 3-4. 5-6a. 6bc-7. 12-13 (R/.cf. 3a); Mt 15, 1-2.10-14

l4ª-: Nm 13, 1-2.25 – 14, 1.26-30.34-35; Sl 105 (106), 6-7a. 13-14. 21-22. 23 (R/. 4a); Mt 15, 21-28

l5ª-: Nm 20, 1-13; Sl 94 (95), 1-2. 6-7. 8-9 (R/. 8ab); Mt 16, 13-23

l6ª-: Dt 4, 32-40; Sl 76 (77), 12-13. 14-15. 16 e 21(R/. 12a); Mt 16, 24-28

lSáb.: Dn 7, 9-10.13-14 ou 2Pd 1, 16-19; Sl 96 (97), 1-2. 5-6. 9 (R/. 1a e 9a); Mt 17, 1-9

l19ª DTC-:1Rs 19, 9a.11-13ª; Sl 84 (85), 9ab-10. 11-12. 13-14 (R/. 8); Rm 9, 1-5; Mt 14, 22-33 (Jesus e Pedro)

 Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/?q=pt-br/node/163


• SÃO PAULO • 24 DE JULHO DE 2011 • ANO 35 • • Lt. 06 • Nº 44 • A •

agosto 29, 2011

17º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 Anim. A liturgia continua apresentando as parábolas do Reino para nos ajudar na compreensão do mistério da vida. O Reino de Deus torna-se presente em Jesus Cristo, e esse é o valor que dá o eixo da nossa vida. O mundo é o palco onde o Reino se revela em meio às contradições da história, até que o próprio Deus aplique a sua justiça definitiva. Façamos desta celebração um ato de fé na misericórdia infinita de Deus.

 

RITOS INICIAIS

1. ABERTURA Sl 33(32) (Fx 24)

Acolhe os oprimidos, * em sua casa, o Senhor, é seu abrigo! * Só Ele se faz temer, * pois a seu povo dá força e poder!

1. A nação que Ele governa * é feliz com tal Senhor. * Lá do céu Ele vê tudo, * vê o homem e seu valor. * Fez o nosso coração * forte e contemplador.

2. O que dá a vitória ao rei * não é ter muitos soldados. * O valente não se livra * por sua força ou seus cuidados. * Quem confia nos cavalos * vai, no fim, ser derrotado.

3. Ó Senhor protege sempre * quem espera em seu amor, * pra livrar da triste morte, * e, na fome, dar vigor. * No Senhor é que esperamos, * Ele é escudo protetor.

4. Nele, nosso coração * encontrou sempre alegria. * No seu nome sacrossanto * quem é bom sempre confia. * Traze, Senhor, com teu amor, * esperança e alegria!

 

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo,
esteja convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos as nossas culpas para celebrarmos dignamente os santos mistérios.

(Silêncio)

T. Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

 

Kyrie

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

 

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas, T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

 

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai o amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por N.S.J.C.

T. Amém.

 

liturgia da palavra

Anim. Ouçamos as leituras sagradas, para acolher o caminho que as parábolas de Jesus propõem à humanidade.

6. PRIMEIRA LEITURA (1Rs 3,5.7-12)

Leitura do Primeiro Livro dos Reis

Naqueles dias,

5em Gabaon o Senhor apareceu a Salomão,

em sonho, durante a noite, e lhe disse:

“Pede o que desejas e eu te darei”.

7E Salomão disse: “Senhor meu Deus,

tu fizeste reinar o teu servo

em lugar de Davi, meu pai.

Mas eu não passo de um adolescente,

que não sabe ainda como governar.

8Além disso, teu servo está no meio do teu povo eleito,

povo tão numeroso

que não se pode contar ou calcular.

9Dá, pois, ao teu servo, um coração compreensivo,

capaz de governar o teu povo

e de discernir entre o bem e o mal.

Do contrário, quem poderá governar

este teu povo tão numeroso?”

10Esta oração de Salomão agradou ao Senhor.

11E Deus disse a Salomão:

“Já que pediste estes dons

e não pediste para ti longos anos de vida,

nem riquezas, nem a morte de teus inimigos,

mas sim sabedoria para praticar a justiça,

12vou satisfazer o teu pedido;

dou-te um coração sábio e inteligente,

como nunca houve outro igual antes de ti, nem haverá depois de ti”.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

7. SALMO RESPONSORIAL 118(119)

(HL3, p. 141 – Fx 21)

Como eu amo, ó Senhor, * vossa lei, vossa palavra!

1. É esta a parte que escolhi por minha herança: * observar vossas palavras, ó Senhor! * A lei de vossa boca, para mim, * vale mais do que milhões em ouro e prata.

2. Vosso amor seja um consolo para mim, * conforme a vosso servo prometestes. * Venha a mim o vosso amor e viverei, * porque tenho em vossa lei o meu prazer.

3. Por isso amo os mandamentos que nos destes, * mais que o ouro, muito mais que o ouro fino! * Por isso eu sigo bem direito as vossas leis, * detesto todos os caminhos da mentira.

4. Maravilhosos são os vossos mandamentos, * eis, porque meu coração os observa! * Vossa palavra, ao revelar-se me ilumina, * ela dá sabedoria aos pequeninos.

 

8. SEGUNDA LEITURA – (Rm 8,28-30)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

28Sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam

a Deus, daqueles que são chamados para a salvação,

de acordo com o projeto de Deus.

29Pois aqueles que Deus contemplou com seu amor

desde sempre, a esses ele predestinou

a serem conformes à imagem de seu Filho,

para que este seja o primogênito numa multidão de irmãos.

30E aqueles que Deus predestinou, também os chamou.

E aos que chamou, também os tornou justos;

e aos que tornou justos, também os glorificou.

-Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (HL 3, p. 214 – Fx 20)

 Aleluia, Aleluia, Aleluia! (bis)

Eu te louvo, ó Pai Santo, * Deus do céu, Senhor da terra: * os mistérios do teu Reino * aos pequenos, Pai, revelas!

 

10. EVANGELHO (Mt 13,44-52)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

44“O Reino dos Céus é como um tesouro escondido no campo.

Um homem o encontra e o mantém escondido.

Cheio de alegria, ele vai, vende todos os seus bens

e compra aquele campo.

45O Reino dos Céus também é como um comprador

que procura pérolas preciosas.

46Quando encontra uma pérola de grande valor,

ele vai, vende todos os seus bens

e compra aquela pérola.

47O Reino dos Céus é ainda

como uma rede lançada ao mar

e que apanha peixes de todo tipo.

48Quando está cheia,

os pescadores puxam a rede para a praia,

sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos

e jogam fora os que não prestam.

49Assim acontecerá no fim dos tempos:

os anjos virão para separar

os homens maus dos que são justos,

50e lançarão os maus na fornalha de fogo.

E aí, haverá choro e ranger de dentes.

51Compreendestes tudo isso?”

Eles responderam: “Sim”.

52Então Jesus acrescentou:

“Assim, pois, todo mestre da lei,

que se torna discípulo do Reino dos Céus,

é como um pó ai de família

que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”.

- Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

 

11. HOMILIA

 

12. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra,/ e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; /ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja Católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna.

 

13. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, elevemos ao Pai nossos corações em prece, suplicando que as parábolas do Reino iluminem as escolhas que temos de fazer por causa da fé. Rezemos:

T. Senhor, escutai a nossa prece!

1. Iluminai o Santo Padre o Papa Bento XVI no esforço de conduzir a humanidade ao encontro de Cristo.

2. Fazei que os cristãos sejam um diferencial na cultura da solidariedade.

3. Consolai as vítimas da violência com a esperança do amor.

4. Fortalecei os que buscam um mundo novo e lutam pela paz.

5. Curai os doentes, convertei os maus e fazei brilhar a justiça no mundo.

(Outras preces comunitárias)

P. Tudo isso vós pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

liturgia eucarística

14. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS

(Fx 23)

1. A mesa santa que preparamos, * mãos que se elevam a Ti, ó Senhor. * O pão e o vinho, frutos da terra, * duro trabalho, carinho e amor: * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô recebe, Senhor!

2. Flores, espinhos, dor e alegria, * pais, mães e filhos diante do altar. * A nossa oferta em nova festa, * a nossa dor vem, Senhor, transformar! * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô, recebe, Senhor!

3. A vida nova, nova família, * que celebramos aqui tem lugar. * Tua bondade vem com fartura, * é só saber reunir, partilhar! * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô, recebe, Senhor!

 

15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Acolhei, ó Pai, os dons que rece­bemos da vossa bondade e traze­mos a este altar. Fazei que estes sa­­­­gra­dos mistérios, pela força da vos­­sa graça, nos santifiquem na vi­­­da presente e nos conduzam à eter­­­na alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II

(Pref. MR, p. 432)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-vos graças, sempre em todo o lugar, Senhor, Pai Santo, Deus eterno e todo-poderoso. Vós criastes o universo e dispusestes os dias e as estações. Formastes o homem e a mulher à vossa imagem, e a eles submetestes toda a criação. Libertastes os fiéis do pecado e lhes destes o poder de vos louvar, por Cristo, Senhor nosso. Unidos à multidão dos anjos e dos santos, proclamamos vossa bondade, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade.

CC. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo V e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o Papa Bento, com o nosso bispo Odilo e todos os ministros do vosso povo.

T. Lembrai-vos, ó Pai da vossa Igreja!

2C. Lembrai-vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Enfim, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, vosso Filho.

T. Concedei-nos o convívio dos eleitos!

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

 

RITo da comunhão

17. RITO DA COMUNHÃO

P. Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor nos ensinou:

T. Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

P. Livrai-nos de todos os males, ó Pai, e dai-nos hoje a vossa paz. Ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e protegidos de todos os perigos, enquanto, vivendo a esperança, aguardamos a vinda do Cristo Salvador.

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

P. Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade. Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo.

T. Amém.

P. A paz do Senhor esteja sempre convosco.

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

P. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

 

18. CANTO DE COMUNHÃO

(HL3, p. 253 – Fx 22) Sl. 119(118)

Quando os tempos chegarem ao fim, * enviados, os anjos virão * separar os que mal procederam * dos que bons declarados serão! (bis)

1. Feliz quem anda com a verdade, * na lei de Deus, com integridade! * Feliz quem guarda seu mandamento * no coração, no pensamento!

2. Ah! Quem me dera, que, em meu andar, * teus mandamentos possa eu guardar! * Se os mandamentos obedecer, * não vai o mal acontecer!

3. Quando tuas leis eu aprender, * vou te louvar e agradecer! * Eu vou guar­dar teu mandamento, * mas, não me deixes no esquecimento.

4. Os que as maldades sabem evitar, * a estrada certa vão encontrar! * Senhor, tu deste os teus mandados, * para que sejam sempre guardados!

 

19. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso Filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.          

T. Amém.

 

20. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

Ó São Paulo, /Santo Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

T. Amém.

 

RITOS finais

21. BÊNÇÃO E DESPEDIDA MR 526

P. Que o Deus de toda consolação disponha na sua paz os vossos dias e vos conceda as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Sempre vos liberte de todos os perigos e confirme os vossos corações em seu amor.

T. Amém.

P. E assim, ricos em esperança, fé e caridade, possais viver praticando o bem e chegar felizes à vida eterna.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe!

T. Demos graças a Deus!

 

22. CANTO FINAL

(HL 3, p. 370) (CO 1383)

Se eu não tiver amor eu nada sou, Senhor. (bis)

1. O amor é compassivo, o amor é serviçal. O amor não tem inveja, o amor não busca o mal.

2. O amor nunca se irrita, não é nunca descortês. * O amor não é egoísta, o amor não é dobrez.

3. O amor tudo desculpa, o amor é caridade. * Não se alegra na injustiça, é feliz, só na verdade.

 

Comemoração do Dia do Padre

25 de julho – Confraternização do clero

da Arquidiocese

Rezemos pelo clero da nossa Arquidiocese!

 

9º Curso de Aprofundamento Teológico
e Pastoral do Clero da Arquidiocese

1º a 4 de agosto

A paróquia, comunidade de comunidades.

Participe com seu apoio e suas orações!

 

Músicas:

• CD Liturgia VI (Ed. Paulus)

• CO Cantos e Orações (Ed. Vozes)

 

 

 LEITURAS DA SEMANA: de 25 a 31 de Julho de 2011

 

l 2ª-: 2Cor 4, 7-15; Sl 125 (126), 1-2ab. 2cd-3. 4-5. 6 (R/. 5); Mt 20, 20-28

l3ª-: Eclo 44, 1.10-15; Sl 131 (132), 11. 13-14. 17-18 (R/. Lc 1, 32a); Mt 13, 16-17

l4ª-: Ex 34, 29-35; Sl 98 (99), 5. 6. 7. 9 (R/. cf. 9c); Mt 13, 44-46

l5ª-: Ex 40, 16-21.34-38; Sl 83 (84), 3. 4. 5-6a e 8a. 11 (R/. 2); Mt 13, 47-53

l6ª-:. 1Jo 4, 7-16; Sl 33 (34), 2-3. 4-5. 6-7. 8-9. 10-11 (R/. 9a); Jo 11, 19-27 ou Lc 10, 38-42

lSab.: Lv 25, 1.8-17; Sl 66 (67), 2-3. 5. 7-8 (R/. 4); Mt 14, 1-12

l18º DTC Is 55, 1-3; Sl 144 (145), 8-9. 15-16. 17-18 (R/. cf. 16); Rm 8, 35. 37-39; Mt 14, 13-21

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/?q=pt-br/node/163


• SÃO PAULO • 17 DE JULHO DE 2011 • ANO 35 • Lt. 06 • Nº 43 • A •

agosto 29, 2011

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 Anim. Estamos reunidos para celebrar o dia do Senhor e, mais uma vez, as parábolas do Reino iluminam a nossa vida e mostram que Deus é o semeador da boa semente, e o Maligno é quem espalha as sementes do mal. Ambas crescem junto, compondo o tecido da história. Somente na hora certa é que a separação deve ser feita, para que não aconteça arrancar-se o trigo junto com o joio. Façamos desta liturgia um ato de fé na Divina Providência e nos disponhamos a exercitar a paciência cristã, que constrói os autênticos caminhos de transformação na história.

 

RITOS INICIAIS

 

1. ABERTURA Sl 32(33) (Fx 19)

É Deus quem me abriga, * o Senhor quem sustenta a minha vida! * De todo o meu coração, * porque és bom, vou fazer-te a oblação.

1. Alegrem-se no Senhor! * Quem é bom, venha louvar! * Peguem logo o violão * e o pandeiro pra tocar. * Para ele um canto novo * vamos, gente, improvisar.

2. Ele cumpre o que promete; * podem nele confiar! * Ele ama o que é direito * e Ele sabe bem julgar. * Sua palavra fez o céu, * fez a terra e fez o mar.

3. Ele faz do mar um açude * e governa os oceanos. * Toda a terra a Ele teme, * mesmo os corações humanos. * Tudo aquilo que Ele diz * não nos causa desenganos.

4. Põe abaixo os planos todos * desses povos poderosos. * E derruba os pensamentos * dos malvados orgulhosos. * Mas os planos que Ele faz * vão sair vitoriosos.

 

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. A vós, irmãos e irmãs, paz e fé da parte de Deus, o Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos as nossas culpas para celebrarmos dignamente os santos mistérios.

(silêncio)

1. Senhor, que viestes, não para condenar, mas para perdoar, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

2. Cristo, que vos alegrais pelo pecador arrependido, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

3. Senhor, que muito perdoais a quem muito ama, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

 

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas, T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

 

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por N.S.J.C.

T. Amém.

 

LITURGIA DA PALAVRA

Anim. Ouçamos a Palavra de Deus revelada nas Escrituras, para compreendermos o mistério do bem e do mal e tomar posição coerente diante da nossa vocação de transformar o mundo.

 

6. PRIMEIRA LEITURA (Sb 12,13.16-19)

Leitura do Livro da Sabedoria

13Não há, além de ti, outro Deus

que cuide de todas as coisas

e a quem devas mostrar

que teu julgamento não foi injusto.

16A tua força é princípio da tua justiça,

e o teu domínio sobre todos

te faz para com todos indulgente.

17Mostras a tua força

a quem não crê na perfeição do teu poder;

e nos que te conhecem, castigas o seu atrevimento.

18No entanto, dominando tua própria força,

julgas com clemência

e nos governas com grande consideração,

pois quando quiseres, está ao teu alcance

fazer uso do teu poder.

19Assim procedendo, ensinaste ao teu povo

que o justo deve ser humano;

e a teus filhos deste a confortadora esperança

de que concedes o perdão aos pecadores.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

7. SALMO RESPONSORIAL 85(86) (HL 3, p. 141 – Fx 21)

Ó Senhor, vós sois bom, * sois clemente e fiel!

1. Ó Senhor, vós sois bom e clemente, * sois perdão para quem vos invoca. * Escutai, ó Senhor, minha prece, * o lamento da minha oração!

2. As nações que criastes, virão * adorar e louvar vosso nome. * Sois tão grande e fazeis maravilhas: * vós, somente, sois Deus e Senhor!

3. Vós, porém, sois clemente e fiel, * sois amor, paciência e perdão. * Tende pena e olhai para mim! * Confirmai, com vigor, vosso servo!

 

8. SEGUNDA LEITURA – (Rm 8,26-27)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

26O Espírito vem em socorro da nossa fraqueza.

Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir;

é o próprio Espírito que intercede em nosso favor,

com gemidos inefáveis.

27E aquele que penetra o íntimo dos corações

sabe qual é a intenção do Espírito.

Pois é sempre segundo Deus

que o Espírito intercede em favor dos santos.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (HL 3, p. 214 – CD Fx 20)

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia. (bis)

Eu te louvo, ó Pai santo, * Deus do céu, Senhor da terra: * /: Os mistérios do teu Reino * aos pequenos, Pai, revelas!:/

 

10. EVANGELHO (Mt 13,24-43)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo,

24Jesus contou outra parábola à multidão:

“O Reino dos Céus é como um homem

que semeou boa semente no seu campo.

25Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo,

semeou joio no meio do trigo, e foi embora.

26Quando o trigo cresceu

e as espigas começaram a se formar,

apareceu também o joio.

27Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram:

‘Senhor, não semeaste boa semente no teu campo?

Donde veio então o joio?’

28O dono respondeu:

‘Foi algum inimigo que fez isso’.

Os empregados lhe perguntaram:

‘Queres que vamos arrancar o joio?’

29O dono respondeu:

‘Não! Pode acontecer que, arrancando o joio,

arranqueis também o trigo.

30Deixai crescer um e outro até a colheita!

E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo:

arrancai primeiro o joio

e o amarrai em feixes para ser queimado!

Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!’”.

31Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola:

“O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda

que um homem pega e semeia no seu campo.

32Embora ela seja a menor de todas as sementes,

quando cresce fica maior do que as outras plantas.

E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm

e fazem ninhos em seus ramos”.

33Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola:

“O Reino dos Céus é como um fermento

que uma mulher pega e mistura com três porções

de farinha, até que tudo fique fermentado”.

34Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões.

Nada lhes falava sem usar parábolas,

35para se cumprir o que foi dito pelo profeta:

“Abrirei a boca para falar em parábolas;

vou proclamar coisas escondidas

desde a criação do mundo”.

36Então Jesus deixou as multidões e foi para casa.

Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram:

“Explica-nos a parábola do joio”.

37Jesus respondeu:

“Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem.

38O campo é o mundo.

A boa semente são os que pertencem ao Reino.

O joio são os que pertencem ao Maligno”.

39O inimigo que semeou o joio é o diabo.

A colheita é o fim dos tempos.

Os ceifeiros são os anjos.

40Como o joio é recolhido e queimado ao fogo,

assim também acontecerá no final dos tempos:

41o Filho do Homem enviará os seus anjos,

e eles retirarão do seu Reino

todos os que fazem outros pecar

e os que praticam o mal;

42e depois os lançarão na fornalha de fogo.

E aí haverá choro e ranger de dentes.

43Então os justos brilharão como sol

no Reino de seu Pai.

Quem tem ouvidos, ouça”

- Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

 

11. HOMILIA

 

12. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, / T. Criador do céu e da terra; de todas as coisas visíveis e invisíveis. / Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, / Filho Unigênito de Deus, / nascido do Pai antes de todos os séculos: / Deus de Deus, / luz da luz, / Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, / gerado, não criado, / consubstancial ao Pai. / Por Ele todas as coisas foram feitas. / E por nós, homens, e para nossa salvação, / desceu dos céus: /e se encarnou pelo Espírito Santo, / no seio da virgem Maria, / e se fez homem. /Também por nós foi crucificado / sob Pôncio Pilatos; / padeceu e foi sepultado. / Ressuscitou ao terceiro dia, / conforme as Escrituras, / e subiu aos céus, / onde está sentado à direita do Pai. / E de novo há de vir, em sua glória, / para julgar os vivos e os mortos; / e o seu reino não terá fim. / Creio no Espírito Santo, / Senhor que dá a vida, / e procede do Pai e do Filho; / e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: / ele que falou pelos profetas. / Creio na Igreja, /una, santa, católica e apostólica. / Professo um só batismo / para remissão dos pecados. / E espero a ressurreição dos mortos / e a vida do mundo que há de vir. Amém.

 

13. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Imploremos a Deus Pai, o semeador da boa semente, que transforme nossas súplicas em realidade, a fim de que o mundo seja um palco de amor e fidelidade. Rezemos:

T. Iluminai, Senhor, os caminhos da nossa história.

1. Abençoai a Igreja em sua missão de espalhar as sementes do Evangelho.

2. Fazei brotar no mundo lideranças que implantem as bases de um futuro melhor para todos.

3. Ajudai os povos a construírem uma convivência madura e pacífica.

4. Sustentai as famílias em sua missão de plantar as sementes do bem.

5. Fortalecei as nações em seu propósito de combater com eficácia o mal.

6. Ensinai-nos a lidar sabiamente com o mistério do bem e do mal.

(Outras preces comunitárias)

P. Tudo isso vós pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

liturgia eucarística

14. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS

(Fx 23)

1. A mesa santa que preparamos, * mãos que se elevam a Ti, ó Senhor. * O pão e o vinho, frutos da terra, * duro trabalho, carinho e amor: * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô recebe, Senhor!

2. Flores, espinhos, dor e alegria, * pais, mães e filhos diante do altar. * A nossa oferta em nova festa, * a nossa dor vem, Senhor, transformar! * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô, recebe, Senhor!

3. A vida nova, nova família, * que celebramos aqui tem lugar. * Tua bondade vem com fartura, * é só saber reunir, partilhar. * Ô, ô, ô, recebe, Senhor! * Ô, ô, recebe, Senhor!

 

15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes à plenitude os sacrifícios da Antiga Aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA SOBRE RECONCILIAÇÃO II (MR – p. 871)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Nosso Senhor Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

CP. Nós vos agradecemos, Deus Pai, todo-poderoso, e por causa de vossa ação no mundo vos louvamos pelo Senhor Jesus. No meio da humanidade, dividida em contínua discórdia, sabemos por experiência que sempre levais as pessoas a procurar a reconciliação. Vosso Espírito Santo move os corações, de modo que os inimigos voltem à amizade, os adversários se deem as mãos e os povos procurem reencontrar a paz.

T. Fazei-nos, ó Pai, instrumentos de vossa paz.

Sim, ó Pai, porque é obra vossa que a busca da paz vença os conflitos, que o perdão supere o ódio, e a vingança dê lugar à reconciliação. Por tudo de bom que fazeis, Deus de misericórdia, não podemos deixar de vos louvar e agradecer. Unidos ao coro dos reconciliados cantamos (dizemos) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Deus de amor e de poder, louvado sois em vosso Filho Jesus Cristo, que veio em vosso nome. Ele é a vossa palavra que liberta e salva toda a humanidade. Ele é a mão que estendeis aos pecadores. Ele é o caminho pelo qual nos chega a vossa paz.

T. Fazei-nos, ó Pai, instrumentos de vossa paz.

Deus, nosso Pai, quando vos abandonamos, vós nos reconduzistes por vosso Filho, entregando-o à morte para que voltássemos a vós e nos amássemos uns aos outros. Por isso, celebramos a reconciliação que vosso Filho nos mereceu.

CC. Cumprindo o que ele nos mandou, vos pedimos: Santificai, V por vosso Espírito, estas oferendas. Antes de dar a vida para nos libertar, durante a ceia, Jesus tomou o pão, pronunciou a bênção de ação de graças e o entregou a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Naquela mesma noite, tomou nas mãos o cálice e, proclamando a vossa misericórdia, o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Ó Deus, Pai de misericórdia, vosso Filho nos deixou esta prova de amor. Celebrando a sua morte e ressurreição, nós vos damos aquilo que nos destes: o sacrifício da perfeita reconciliação.

T. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou!

Nós vos pedimos, ó Pai, aceitai-nos também com vosso Filho e, nesta ceia, dai-nos o mesmo Espírito, de reconciliação e de paz.

T. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou!

1C. Ele nos conserve em comunhão com o Papa Bento e nosso bispo Odilo, com todos os bispos e o povo que conquistastes. Fazei de vossa Igreja sinal da unidade entre os seres humanos e instrumento da vossa paz.

T. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou!

2C. Assim como aqui nos reunistes, ó Pai, à mesa do vosso Filho em união com a Virgem Maria, Mãe de Deus, e com todos os santos, reuni no mundo novo, onde brilha a vossa paz, os homens e as mulheres de todas as classes e nações, de todas as raças e línguas, para a ceia da comunhão eterna, por Jesus Cristo, nosso Senhor.

T. Glória e louvor ao Pai, que em Cristo nos reconciliou!

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

 

rito da comunhão

17. RITO DA COMUNHÃO

 

18. CANTO DE COMUNHÃO

Sl 118(119) (HL 3 p. 253) ( CD Fx 22)

Quem pertence ao Reino de Deus * é boa semente, é farol: //* quando os tempos chegarem ao fim, * os fiéis brilharão como o sol.// (bis)

1. Feliz quem anda com a verdade, * na lei de Deus, com integridade! * Feliz quem guarda seu mandamento * no coração, no pensamento!

2. Ah! Quem me dera, que, em meu andar, * teus mandamentos possa eu guardar! * Se os mandamentos obedecer, *não vai o mal acontecer!

3. Quando tuas leis eu aprender, * vou te louvar e agradecer! * Eu vou guardar teu mandamento, * mas, não me deixes no esquecimento.

4. Os que as maldades sabem evitar, * a estrada certa vão encontrar! * Senhor, tu deste os teus mandados, * para que sejam sempre guardados!

 

19. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.          

T. Amém.

 

20. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

Ó São Paulo, /Santo Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

 

RITOS finais

21. BÊNÇÃO E DESPEDIDA MR 526

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Que o Deus de toda consolação disponha na sua paz os vossos dias e vos conceda as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Sempre vos liberte de todos os perigos e confirme os vossos corações em seu amor.

T. Amém.

P. E assim, ricos em esperança, fé e caridade, possais viver praticando o bem e chegar felizes à vida eterna.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe.

T. Amém.

 

22. CANTO FINAL (HL 3, p. 370-CO 1383)

Se eu não tiver amor eu nada sou, Senhor. (bis)

1. O amor é compassivo, o amor é serviçal. O amor não tem inveja, o amor não busca o mal.

2. O amor nunca se irrita, não é nunca descortês. * O amor não é egoísta, o amor não é dobrez.

3. O amor tudo desculpa, o amor é caridade. * Não se alegra na injustiça, é feliz, só na verdade.

 

Músicas: • CD Liturgia VI – (Ed. Paulus)

• CO Cantos e Orações (Ed. Vozes)

 

A Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, da PUC-SP, aguarda você para estudar Teologia em 2012, no campus Ipiranga, de manhã e à noite, e no campus Santana à noite.

Fique atento à data do Vestibular.

http://www.pucsp.br

 

LEITURAS DA SEMANA: de 18 a 24 de Julho de 2011

 

2ª-: Ex 14, 5-18; Cânt.: Ex 15, 1-2. 3-4. 5-6 (R/. 1a); Mt 12, 38-42

l3ª-: Ex 14, 21 – 15, 1; Cânt.: Ex 15, 8-9. 10 e 12. 17 (R/. 1a); Mt 12, 46-50

l4ª-: Ex 16, 1-5.9-15; Sl 77 (78), 18-19. 23-24. 25-26. 27-28 (R/. 24b); Mt 13, 1-9

l5ª-: Ex 19, 1-2.9-11.16-20b; Cânt.: Dn 3, 52. 53-54. 55. 56 (R/. 52b); Mt 13, 10-17

l6ª-: Ct 3, 1-4a ou 2Cor 5, 14-17; Sl 62 (63), 2. 3-4. 5-6. 8-9 (R/. 2b); Jo 20, 1-2.11-18

lSab.: Ex 24, 3-8; Sl 49 (50), 1-2. 5-6. 14-15 (R/. 14a); Mt 13, 24-30

l17º DTC.:1Rs 3, 5.7-12; Sl 118 (119), 57 e 72. 76-77. 127-128. 129-130 (R/. 97a); Rm 8, 28-30; Mt 13, 44-52

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/?q=pt-br/node/163


• SÃO PAULO • 10 DE JULHO DE 2011 • ANO 35 • Lt. 06 • Nº. 42 • A •

agosto 29, 2011

15º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 Anim. Hoje, como acontece em toda Eucaristia, ouviremos a Palavra de Deus semeada em nossos corações. Sejamos o campo fértil onde as sementes produzam muitos frutos, pois a Páscoa de Cristo não foi em vão, como não é em vão a chuva que irriga a terra e faz germinar as sementes. De fato, o Senhor colocou-se gloriosamente à destra de Deus Pai depois de ter operado a salvação do mundo por meio do seu Mistério Pascal. Celebremos com entusiasmo o Mistério da nossa salvação.

 

RITOS INICIAIS

1. ABERTURA Sl 32(33) (CD VI fx 19)

Assim que a tua glória * revelar-se, Senhor, perante a história, * tua face contemplarei * e satisfeito pra sempre eu ficarei.

1. Alegrai-vos no Senhor! * Quem é bom, venha * louvar! * Peguem logo o violão * e o pandeiro pra tocar. * Para ele um canto novo * vamos, gente, improvisar.

2. Ele cumpre o que promete; * podem nele confiar! * Ele ama o que é direito * e ele sabe bem julgar. * Sua palavra fez o céu, * fez a terra e fez o mar.

3. Ele faz do mar um açude * e governa os oceanos. * Toda a terra a ele teme, * mesmo os corações humanos. * Tudo aquilo que ele diz, * não nos causa desenganos.

4. Põe abaixo os planos todos * desses povos poderosos. * E derruba os pensamentos * dos malvados orgulhosos. * Mas os planos que ele faz * vão sair vitoriosos.

 

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. A graça de nosso Senhor Jesus Cris­to, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai.

(Silêncio)

Confessemos os nossos pecados:

T. Confesso a Deus todo-podero­so e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pen­sa­mentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que ro­gueis por mim a Deus, nosso Senhor.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

Kyrie

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

 

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas, T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

 

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que mostrais a luz da verdade aos que erram para retomarem o bom caminho, dai a todos os que professam a fé rejeitar o que não convém ao cristão, e abraçar tudo o que é digno deste nome. Por N.S.J.C.

T. Amém.

 

lITURGIA DA PALAVRA

Anim. Abramos os nossos corações à Palavra de Deus como um terreno fértil, que acolhe a semente e a faz germinar e frutificar cem vezes mais.

 

6. PRIMEIRA LEITURA (Is 55,10-11)

Leitura do Livro do Profeta Isaías

Isto diz o Senhor:

10“Assim como a chuva e a neve descem do céu

e para lá não voltam mais,

mas vêm irrigar e fecundar a terra,

e fazê-la germinar

e dar semente, para o plantio e para a alimentação,

11assim a palavra que sair de minha boca:

não voltará para mim vazia;

antes, realizará tudo que for de minha vontade

e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

7. SALMO RESPONSORIAL 64(65) (CD VI Fx 21)

A semente caiu em terra boa e deu fruto. (bis)

1. Visitais a nossa terra com as chuvas * e transborda de fartura. * Rios de Deus, que vêm dos céus, derramam águas * e preparais o nosso trigo.

2. É assim que preparais a nossa terra: * vós a regais e a aplainais; * os seus sulcos com a chuva amoleceis * e abençoais as sementeiras.

3. O ano todo coroais com vossos dons, * os vossos passos são fecun­dos; * transborda a fartura onde pas­sais, * brotam pastos no deserto.

4. As colinas se enfeitam de alegria * e os campos, de rebanhos; * nossos vales se revestem de trigais: * tudo canta de alegria.

 

8. SEGUNDA LEITURA – (Rm 8,18-23)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

18Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente

nem merecem ser comparados com a glória

que deve ser revelada em nós.

19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente

o momento de se revelarem os filhos de Deus.

20Pois a criação ficou sujeita à vaidade,

não por sua livre vontade,

mas por sua dependência daquele que a sujeitou;

21também ela espera ser libertada

da escravidão da corrupção

e, assim, participar da liberdade

e da glória dos filhos de Deus.

22Com efeito, sabemos que toda a criação,

até o tempo presente,

está gemendo como que em dores de parto.

23E não somente ela, mas nós também,

que temos os primeiros frutos do Espírito,

estamos interiormente gemendo,

aguardando a adoção filial

e a libertação para o nosso corpo.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(CD VI Fx 20)

 Aleluia, Aleluia, Aleluia! (bis)

Semente é de Deus a Palavra, * o Cristo é o semeador, * todo aquele que o encontra, * vida eterna encontrou!

 

10. EVANGELHO (Mt 13,1-23)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P.1Naquele dia, Jesus saiu de casa

e foi sentar-se às margens do mar da Galiléia.

2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele.

Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se,

enquanto a multidão ficava de pé, na praia.

3E disse-lhes muitas coisas em parábolas:

“O semeador saiu para semear.

4Enquanto semeava,

algumas sementes caíram à beira do caminho,

e os pássaros vieram e as comeram.

5Outras sementes caíram em terreno pedregoso,

onde não havia muita terra.

As sementes logo brotaram,

porque a terra não era profunda.

6Mas, quando o sol apareceu,

as plantas ficaram queimadas e secaram,

porque não tinham raiz.

7Outras sementes caíram no meio dos espinhos.

Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.

8Outras sementes, porém, caíram em terra boa,

e produziram à base de cem,

de sessenta e de trinta frutos por semente.

9Quem tem ouvidos, ouça!”

10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus:

“Por que tu falas ao povo em parábolas?”

11Jesus respondeu:

“Porque a vós foi dado o conhecimento

dos mistérios do Reino dos Céus,

mas a eles não é dado.

12Pois à pessoa que tem,

será dado ainda mais, e terá em abundância;

mas à pessoa que não tem,

será tirado até o pouco que tem.

13É por isso que eu lhes falo em parábolas:

porque olhando, eles não veem,

e ouvindo, eles não escutam, nem compreendem.

14Deste modo se cumpre neles a profecia de Isaías:

‘Havereis de ouvir, sem nada entender.

Havereis de olhar, sem nada ver.

15Porque o coração deste povo se tornou insensível.

Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos,

para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos,

nem compreender com o coração,

de modo que se convertam e eu os cure’.

16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem

e vossos ouvidos ouvem.

17Em verdade vos digo,

muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes,

e não viram, desejaram ouvir o que ouvis,

e não ouviram.

18Ouvi, portanto, a parábola do semeador:

19Todo aquele que ouve a palavra do Reino

e não a compreende,

vem o maligno e rouba o que foi semeado em seu coração.

Este é o que foi semeado à beira do caminho.

20A semente que caiu em terreno pedregoso

é aquele que ouve a palavra

e logo a recebe com alegria;

21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento:

quando chega o sofrimento ou a perseguição,

por causa da palavra,

ele desiste logo.

22A semente que caiu no meio dos espinhos

é aquele que ouve a palavra,

mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza

sufocam a palavra, e ele não dá fruto.

23A semente que caiu em boa terra

é aquele que ouve a palavra e a compreende.

Esse produz fruto.

Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.

- Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

 

11. HOMIIA

 

12. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra,/ e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; /ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja Católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna.

 

13. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, elevemos a Deus Pai nossas preces, na esperança de que as leituras que ouvimos, como sementes que caem em terra boa, produzam frutos de transformação pessoal e comunitária. Rezemos:

T. Atendei, Senhor, ao nosso clamor!

1. Dai à vossa Igreja a constância do semeador e a persistência da missão.

2. Despertai no mundo lideranças a serviço do bem e da verdade.

3. Abençoai a juventude cristã, para que seja semeadora de paz.

4. Consolai os que mais sofrem e dai-lhes coragem e resistência.

5. Fazei-nos espalhar as sementes do Reino no mundo inteiro.

(Outras preces comunitárias)

P. Tudo isso vós pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

lITURGIA EUCARÍSTICA

14. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS (CD VI Fx 14)

1. Bendito e louvado seja o Pai nosso criador. * O pão que nós recebemos é prova do seu amor. * O pão que nós recebemos é prova do seu amor. * É o fruto de sua terra e do povo trabalhador. * O fruto de sua terra, do povo traba­lhador, * na missa é trans­­­formado no Corpo do Salvador.

Bendito seja Deus, bendito seu amor. * Bendito seja Deus Pai onipotente, nosso Cria­dor. (bis)

2. Bendito e louvado seja o Pai nosso criador. * O vinho que recebemos é prova do seu amor. * O vinho que recebemos é prova do seu amor. * É o fruto de sua terra do povo trabalhador. * O fruto de sua terra e do povo trabalhador * na missa é transformado no Sangue do Salvador.

 

15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Acolhei, ó Deus, as oferendas da vossa Igreja em oração, e fazei crescer em santidade os fiéis que participam deste sacrifício. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA V (MR, p. 495)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Nosso Senhor Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. É justo e nos faz todos ser mais santos louvar a vós, ó Pai, no mundo inteiro, de dia e de noite, agradecendo com Cristo, vosso Filho, nosso irmão. É ele o sacerdote verdadeiro que sempre se oferece por nós todos, mandando que se faça a mesma coisa que fez naquela ceia derradeira. Por isso, aqui estamos bem unidos, louvando e agradecendo com alegria, juntando nossa voz à voz dos anjos e à voz dos santos todos, pra cantar (dizer):

T. Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!

CP. Senhor, vós que sempre quisestes ficar muito perto de nós, vivendo conosco no Cristo, falando conosco por ele,

CC. mandai vosso Espírito Santo, a fim de que as nossas ofertas se mudem no Corpo V e no Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.

T. Mandai vosso Espírito Santo!

Na noite em que ia ser entregue, ceando com seus apóstolos, Jesus, tendo o pão em suas mãos, olhou para o céu e deu graças, partiu o pão e o entregou a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, no fim da ceia, tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Tudo isto é mistério da fé!

T. Toda vez que se come deste Pão, toda vez que se bebe deste Vinho, se recorda a paixão de Jesus Cristo e se fica esperando sua volta.

P. Recordamos, ó Pai, neste momento, a paixão de Jesus, nosso Senhor, sua ressurreição e ascensão; nós queremos a vós oferecer este Pão que alimenta e que dá vida, este Vinho que nos salva e dá coragem.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

E quando recebermos Pão e Vinho, o Corpo e Sangue dele oferecidos, o Espírito nos una num só corpo, pra sermos um só povo em seu amor.

T. O Espírito nos una num só corpo!

1C. Protegei vossa Igreja que caminha nas estradas do mundo rumo ao céu, cada dia renovando a esperança de chegar junto a vós, na vossa paz.

T. Caminhamos na estrada de Jesus!

2C. Dai ao Santo Padre, o Papa Bento ser bem firme na Fé, na caridade e a Odilo, que é bispo desta Igreja, muita luz pra guiar o seu rebanho.

T. Caminhamos na estrada de Jesus!

3C. Esperamos entrar na vida eterna com a Virgem, Mãe de Deus e da Igreja, os apóstolos e todos os santos, que na vida souberam amar Cristo e seus irmãos.

T. Esperamos entrar na vida eterna!

4C. A todos que chamastes para outra vida na vossa amizade, e aos marcados com o sinal da fé, abrindo vossos braços, acolhei-os. Que vivam para sempre bem felizes no reino que para todos preparastes.

T. A todos dai a luz que não se apaga!

CP. E a nós, que agora estamos reunidos e somos povo santo e pecador, dai força para construirmos juntos o vosso reino que também é nosso.

P. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

 

RITO DA COMUNHÃO

17. RITO DA COMUNHÃO

P. Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor nos ensinou:

T. Pai nosso…

P. Livrai-nos de todos os males,…

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

P. Senhor Jesus Cristo, …

T. Amém.

P. A paz do Senhor …

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

P. Felizes os convidados…

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

 

18. CANTO DE COMUNHÃO Sl. 118(119)

(CD VI Fx 22)

Terra boa é aquele que ouviu * e a palavra de Deus praticou: *//a semente na terra caiu *e de terra tão boa brotou!// (bis)

1. Feliz quem anda com a verdade, * na lei de Deus, com integridade! * Feliz quem guarda seu mandamento * no coração, no pensamento!

2. Ah! Quem me dera, que, em meu andar, * teus mandamentos possa eu guardar! * Se os mandamentos obedecer, * não vai o mal acontecer!

3. Quando tuas leis eu aprender, * vou te louvar e agradecer! * Eu vou guardar teu mandamento, * mas, não me deixes no esquecimento.

4. Os que as maldades sabem evitar, * a estrada certa vão encontrar! * Senhor, tu deste os teus mandados, * para que sejam sempre guardados!

 

19. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Alimentados pela vossa Eucaristia, nós vos pedimos, ó Deus, que cresça em nós a vossa salvação cada vez que celebramos este mistério. Por Cristo, nosso Senhor.       

T. Amém.

 

20. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

Ó São Paulo, /Santo Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

 

RITOS FINAIS

21. BÊNÇÃO E DESPEDIDA – MR 525

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Deus vos abençoe e vos guarde.

T. Amém.

P. Ele vos mostre sua face e se compadeça de vós.

T. Amém.

P. Volva para vós o seu olhar e vos dê a sua paz.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

 

22. CANTO FINAL – CO 1425)

1. Quando o dia da paz renascer, * quando o sol da esperança brilhar, * eu vou cantar! • Quando o povo nas ruas sorrir, * e a roseira de novo florir, * eu vou cantar!• Quando as cercas caírem no chão * quando as mesas se encherem de pão, * eu vou cantar! • Quando os muros que cercam os jardins, * destruídos, então os jasmins * vão perfumar.

Vai ser tão bonito se ouvir a canção, * cantada de novo. * No olhar do homem a certeza do irmão: * reinado do povo.

2. Quando as armas da destruição, * destruídas em cada nação, * eu vou sonhar! • E o decreto que encerra a opressão, * assinado só no coração, * vai triunfar! * • Quando a voz da verdade se ouvir * e a mentira não mais existir, * será enfim, • tempo novo de eterna justiça, * sem mais ódio, sem sangue ou cobiça: * vai ser assim.

 

 

Músicas:

• CD Liturgia VI – (Ed. Paulus)

• CO Cantos e Orações (Ed. Vozes)

 

 LEITURAS DA SEMANA: de 11 a 17 de Julho de 2011

 

l 2ª-: Ex 1, 8-14.22; Sl 123 (124), 1-3. 4-6. 7-8 (R/. 8a); Mt 10, 34 – 11, 1

l 3ª-: Ex 2, 1-15ª; Sl 68 (69), 3. 14. 30-31. 33-34 (R/. cf. 33); Mt 11, 20-24

l 4ª-: Ex 3, 1-6.9-12; Sl 102 (103), 1-2. 3-4. 6-7 (R/. 8a); Mt 11, 25-27

l 5ª-: Ex 3, 13-20; Sl 104 (105), 1 e 5. 8-9. 24-25. 26-27 (R/. 8a); Mt 11, 28-30

l 6ª-: Ex 11, 10 – 12, 14; Sl 115 (116B), 12-13. 15-16. 17-18 (R/. 13); Mt 12, 1-8

l Sáb. Zc 2, 14-17; Cânt.: Lc 1, 46-47. 48-49. 50-51. 52-53. 54-55 (R/. 49); Mt 12, 46-50

l 16º DTC Sb 12, 13.16-19; Sl 85 (86), 5-6. 9-10. 15-16a (R/. 5a); Rm 8, 26-27; Mt 13, 24-43

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/?q=pt-br/node/163


• SÃO PAULO • 3 DE JULHO DE 2011 • ANO 35 • Lt. 05 • Nº 41 •A

junho 19, 2011

SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO

DIA DO PAPA

 Anim. Celebramos hoje a Solenidade dos Apóstolos são Pedro e são Paulo, as duas colunas da fé católica. Pedro toma a dianteira da profissão de fé apostólica e recebe a cátedra da unidade da Igreja; Paulo leva a fé aos confins do mundo e estende a Igreja a todos os povos. Estas duas missões se condensam no ministério do Papa, cujo dia hoje celebramos. Por
isso, rezamos de modo especial pelo Santo Padre o Papa Bento XVI, que se assenta na “cátedra” de Pedro, mas também percorre, com espírito paulino, o mundo, visitando seus irmãos e confirmando-os na fé. Que o óbolo de São Pedro seja nossa contribuição, por meio das coletas de hoje, para a missão da Igreja no mundo inteiro.

1. ACOLHIDA (Fx 16)

Canta, meu povo! Canta o louvor de teu Deus! Que se fez homem e por nós morreu, que ressuscitou pelo amor dos seus!

1. Somos a nação santa e o povo eleito, um sacerdócio real. Deus nos chamou das trevas à sua luz, sua luz imortal.

2. Nós somos transportados da morte à vida, pelo amor dos irmãos. Vamos amar até nossos inimigos, é a lei do cristão!

3. Senhor Jesus, já não sou mais eu que vivo, Tu vives em mim. O meu desejo é um dia ver tua face, na glória sem fim.

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos as nossas culpas para celebrarmos dignamente os santos mistérios.

(Silêncio)

P. Confessemos os nossos pecados:

T. Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas, T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que hoje nos concedeis a alegria de festejar São Pedro e São Paulo, concedei à vossa Igreja seguir os ensinamentos destes Apóstolos que nos deram as primícias da fé. Por N.S.J.C.

T. Amém.

Anim. Ouçamos com piedade e devoção a leituras de hoje, a fim de celebrarmos a festa de são Pedro e são Paulo, buscando forta­lecer nossa fé e nossa missão.

6. PRIMEIRA LEITURA (At 12, 1-11)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias,

1o rei Herodesprendeu alguns membros da Igreja, para torturá-los.

2Mandou matar à espada Tiago, irmão de João.

3E, vendo que isso agradava aos judeus, mandou também prender a Pedro. Eram os dias dos pães ázimos.

4Depois de prender Pedro, Herodes colocou-o na prisão, guardado por quatro grupos de soldados, com quatro soldados cada um. Herodes tinha a intenção de apresentá-lo ao povo,

depois da festa da Páscoa.

5Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja rezava continuamente a Deus por ele.

6Herodes estava para apresentá-lo. Naquela mesma noite, Pedro dormia entre dois soldados, preso com duas correntes; e os guardas vigiavam a porta da prisão.

7Eis que apareceu o anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela. O anjo tocou o ombro de Pedro, acor­­­dou-o e disse: “Levanta-te depressa!”As correntes
caíram-lhe das mãos.

8O anjo continuou: “Coloca o cinto e calça tuas sandálias!” Pedro obedeceu e o anjo lhe disse: “Põe tua capa e vem comigo!”

9Pedro acompanhou-o, e não sabia que era realidade o que estava acontecendo por meio do anjo, pois pensava que aquilo era uma visão.

10Depois de passarem pela primeira e segunda guarda, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade. O portão abriu-se sozinho. Eles saíram, caminharam por uma rua e logo depois o anjo o deixou.

11Então Pedro caiu em si e disse: “Agora sei, de fato, que o Senhor enviou o seu anjo para me libertar do poder de Herodes e de tudo o que o povo judeu esperava!”

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

7. SALMO RESPONSORIAL Sl 33(34) (Fx 17)

De todos os temores me livrou o Senhor Deus. (Bis)

1. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem!

2. Comigo engrandecei ao Senhor Deus, exaltemos todos juntos o seu nome! Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu, e de todos os temores me livrou.

3. Contemplai a sua face e alegrai-vos, e vosso rosto não se cubra de vergonha! Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido, e o Senhor o libertou de toda angústia.

4. O anjo do Senhor vem acampar ao redor dos que o temem, e os salva. Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!

8. SEGUNDA LEITURA (2Tm 4, 6-8.17-18)

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo

Caríssimo:

6Quanto a mim, eu já estou para ser derramado em sacrifício; aproxima-se o momento de minha partida.

7Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé.

8Agora está reservada para mim a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos que esperam com amor a sua manifestação gloriosa.

17Mas o Senhor esteve a meu lado e me deu forças, ele fez com que a mensagem fosse anunciada por mim integralmente, e ouvida por todas as nações; e eu fui libertado da boca do leão.

18O Senhor me libertará de todo mal e me salvará para o seu Reino celeste. A ele a glória, pelos séculos dos séculos! Amém.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Fx 18)

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia. (bis)

Tu és Pedro e sobre esta pedra eu irei construir minha Igreja; e as portas do inferno não irão derrotá-la.

10. EVANGELHO (Mt 16,13-19)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo,

13Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”

14Eles responderam:“Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.

15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?”

16Simão Pedro respondeu:“Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.

17Respondendo, Jesus lhe disse:“Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.

18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la.

19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.

- Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

11. HOMILIA       

12. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra,/ e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
/
nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; /ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja Católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna.

13. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e Irmãs, nesta solenidade dos apóstolos Pedro e Paulo, pedras fundamentais da Igreja, elevemos ao Pai os nossos pedidos, rezando juntos:

T. Ajudai-nos, Senhor, a professar nossa fé em Cristo.

1. Pai Santo, fortalecei o Papa Bento XVI na sua missão de Pastor universal da Igreja de Cristo.

2. Abençoai a Igreja que está no Brasil e iluminai sua missão em comunhão com o sucessor de Pedro.

3. Renovai nossas paróquias, para que sejam ecos da voz de Cristo, o Bom Pastor.

4. Ajudai-nos a assumir nossa missão hoje com a ousadia do espírito paulino.

5. Fazei-nos sal da terra e luz do mundo, como os apóstolos Pedro e Paulo.

(Outras preces comunitárias)

P. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

14. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS  (Fx 19)

Quem nos separará? Quem vai nos separar do amor de Cristo? Quem nos separará? Se ele é por nós, quem será, quem será contra nós? Quem vai nos separar do amor de Cristo quem será?

1. Nem a espada, ou perigo, nem os erros do meu irmão, nenhuma das criaturas nem a condenação.

2. Nem a vida, nem a morte, a tristeza ou aflição, nem o passado, nem o presente, o futuro, nem opressão.

3. Nem as alturas, nem os abismos, nem tampouco a perseguição. Nem a angústia, a dor ou a fome, nem a tribulação.

15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Ó Deus, que a oração de vossos Apóstolos acompanhe as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, e nos alcance celebrarmos este sacrifício com o coração voltado para vós. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III (Pref. MR, p. 608)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai Santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Hoje,
vós nos concedeis a alegria de festejar os Apóstolos São Pedro e São Paulo.  Pedro, o primeiro a proclamar a fé, fundou a Igreja primitiva sobre a herança de Israel. Paulo, mestre e doutor das nações, anunciou-lhes o Evangelho da Salvação. Por diferentes meios, os dois congregaram a única família de Cristo e, unidos pela coroa do martírio, recebem hoje, por toda a terra, igual veneração. Por essa razão, os anjos celebram a vossa grandeza, os santos proclamam vossa glória. Concedei-nos também a nós associar-nos aos seus louvores, cantando
(dizendo) a uma só voz…

Santo, santo, santo…

CP. Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr-do-sol, um sacrifício perfeito.

T. Santificai e reuni o vosso povo!

CC. Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e V o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda,
nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos
repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, São Paulo, patrono da nossa Arquidiocese, N. e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença.

T. Fazei de nós uma perfeita oferenda!

2C. E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o Papa Bento, o nosso bispo Odilo, com os Bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.

T. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!

Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso.

T. A todos saciai com vossa glória!

Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça.

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

17. RITO DA COMUNHÃO

P. Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor nos ensinou:

T. Pai nosso …

P. Livrai-nos de todos os males, ó Pai, e dai-nos hoje a vossa paz. Ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e protegidos de todos os perigos, enquanto, vivendo a esperança, aguardamos a vinda do Cristo Salvador.

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

P. Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade. Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo.

T. Amém.

P. A paz do Senhor esteja sempre convosco.

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus …

P. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

18. CANTO DE COMUNHÃO (Fx21)

Toda a Igreja unida celebra a memória pascal do Cordeiro irmanada com Pedro e com Paulo, que seguiram a Cristo por primeiro!

1. Publicai em toda terra os prodígios do Senhor: reuniu seu povo amado para o canto do louvor.

2. Bendizei, louvai por Pedro, pela fé que professou: essa fé é a rocha firme da Igreja do Senhor.

3. Bendizei, louvai por Paulo, pelo empenho na missão: o seu zelo do Evangelho leva ao mundo a salvação.

4.Alegrai-vos neste dia que o martírio iluminou: o triunfo destes santos nos confirme no amor.

19. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Concedei-nos, ó Deus, por esta Eucaristia, viver de tal modo na vossa Igreja que, perseverando na fração do pão e na doutrina dos apóstolos, e enraizados no vosso amor, sejamos um só coração e uma só alma. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

20. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém

21. BÊNÇÃO E DESPEDIDA MR, p. 527

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, que vos deu por fundamento aquela fé proclamada pelo Apóstolo Pedro e sobre a qual se edifica toda a Igreja.

T. Amém.

P. Ele, que vos instruiu pela incansável pregação de S. Paulo, vos ensine a conquistar também novos irmãos e irmãs para o Cristo.

T. Amém.

P. Que a autoridade de Pedro e a pregação de Paulo vos levem à pátria celeste, onde chegaram gloriosamente um pela cruz e outro pela espada.

T. Amém.

P. Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

22. CANTO FINAL (Fx 22-VC 621)

Aleluia, aleluia! Tu és Pedro, aleluia! Aleluia, aleluia! Tu és Pedro, aleluia!

1. És a rocha viva Cristo te escolheu. Quando Simão Pedro disse: “Eu te darei do meu Reino as chaves – eis a minha Igreja, Sobre esta pedra edificarei!”

2. Cristo Salvador, a pedra angular, que ampara tudo, pois é Homem-Deus, escolheu a Pedro pra sustentar como rocha viva o edifício seu.

Músicas: CD Festas Litúrgicas II (Ed. Paulus )

Cantos e Orações Ed. Vozes

LEITURAS DA SEMANA: de 4 a 10 Julho de  2011

l2ª-: Gn 28, 10-22ª; Sl 90 (91), 1-2. 3-4. 14-15ab (R/. cf. 2b); Mt 9, 18-26

l3ª-: Gn 32, 23-33 (Hebr 22-32); Sl 16 (17), 1. 2-3. 6-7. 8b e 15 (R/. 15a); Mt 9, 32-38

l4ª-: Gn 41, 55-57; 42, 5-7a.17-24ª; Sl 32 (33), 2-3. 10-11. 18-19 (R/. 22); Mt 10, 1-7

l5ª-: Gn 44, 18-21.23b-29; 45, 1-5; Sl 104 (105), 16-17. 18-19. 20-21 (R/. 5a); Mt 10, 7-15

l6ª-: Gn 46, 1-7.28-30; Sl 36 (37), 3-4. 18-19. 27-28. 39-40 (R/. 39a); Mt 10, 16-23

lSab-: Gn 49, 29-32; 50, 15-26ª; Sl 104 (105), 1-2. 3-4. 6-7 (R/. cf. Sl 68 [69], 33); Mt 10, 24-33

lDom.15º DTC Is 55, 10-11; Sl 64 (65), 10abcd. 11. 12-13. 14 (R/. Lc 8, 8); Rm 8, 18-23; Mt 13, 1-23

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_sao-pedro_e_sao_paulo.htm


• SÃO PAULO • 26 DE JUNHO DE 2011 • ANO 35 • Lt. 05 • Nº 40 •A

junho 19, 2011

13º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Anim. Na dinâmica do Tempo Comum, a liturgia da Igreja nos convida ao amor absoluto a Jesus Cristo e à dedicação radical ao seu Reino. A solidariedade para com os discípulos e missionários de Jesus Cristo também faz parte da vocação cristã e das promessas de bênçãos divinas. Encaremos essa verdade na qual se inclui o projeto de renovação paroquial assumido pela Igreja de São Paulo.

1. ACOLHIDA Sl 26(27) (Fx 12)

Povos todos do universo, * batam palmas ao Senhor, * gritem de alegria, * com cantos de louvor!

1. O Senhor é minha luz, * ele é minha salvação. * O que é que eu vou temer? * Deus é minha proteção. * /:Ele guarda minha vida, * eu não vou ter medo, não:/

2. Quando os maus vêm avançando, * procurando me acuar, * desejando ver meu fim, *querendo me matar, * /:inimigos opressores * é que vão se liquidar.:/

3. Se um exército se armar * contra mim, não temerei. * Meu coração está firme, * e firme ficarei. * /:Se estourar uma batalha, * mesmo assim, confiarei!:/

4. Sei que eu hei de ver, * um dia, a bondade do Senhor: * lá, na terra dos viventes, * viverei no seu amor. * Espera em Deus! Cria coragem! * Espera em Deus que é teu Senhor

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos as nossas culpas para celebrarmos dignamente os santos mistérios.

(Silêncio)

P. Confessemos os nossos pecados:

T. Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas,

T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos
glorificamos, /
nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

5. ORAÇÃO

P.Oremos (silêncio): Ó Deus, pela vossa graça, nos fizestes filhos da luz. Concedei que não sejamos envolvidos pelas trevas do erro, mas brilhe em nossas vidas a luz da vossa verdade. Por N.S.J.C.

T. Amém.

Anim. Ouçamos os apelos que Deus nos faz por meio da sua Palavra revelada nas Sagradas Escrituras e celebrada na Liturgia.

6. PRIMEIRA LEITURA

(2Rs 4,8-11.14-16a)

Leitura do Segundo Livro dos Reis

8Certo dia, Eliseu passou por Sunam. Aí morava uma senhora rica, que insistiu para que fosse comer em sua casa. Depois disso, sempre que passava por aí, Eliseu parava na casa dessa mulher para fazer suas refeições.

9E ela disse ao marido:“Tenho observado que este homem, que passa tantas vezes por nossa casa, é um santo homem de Deus.

10Façamos para ele, no terraço, um pequeno quarto de alvenaria, onde colocaremos uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro. Assim, quando vier à nossa casa, poderá acomodar-se ai”.

11Um dia, Eliseu passou por Sunam e recolheu-se àquele pequeno quarto para descansar.

14E perguntou a Giezi, seu servo: “Que se poderia fazer por esta mulher? ”Giezi respondeu: “É inútil perguntar-lhe; ela não tem filhos e seu marido já é velho”.

15Eliseu mandou então que a chamasse. Ele chamou-a e ela pôs-se à porta.

16Eliseu disse-lhe: “Daqui a um ano, neste tempo, estarás com um filho nos braços”.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

7. SALMO RESPONSORIAL 88(89)

(HL3 138-139 -Fx 18)

Ó Senhor, eu cantarei, * eterna­mente, o vosso amor! (bis)

1. Ó Senhor, eu cantarei eterna-mente o vosso amor, * de geração em geração eu cantarei vossa verdade! * Porque dissestes: “O amor é garantido para sempre!” * E a vossa lealdade é tão firme como os céus.

2. Quão feliz é aquele povo que conhece a alegria; * seguirá pelo caminho sempre à luz de vossa face! * Exultará de alegria em vosso nome, dia a dia * e com grande entusiasmo exaltará vossa justiça.

3. Pois sois vós, ó Senhor Deus, a sua força e sua glória, * é por vossa proteção que exaltais nossa cabeça. * O Senhor é o nosso escudo, ele é nossa proteção, * ele reina sobre nós, é o santo de Israel!

8. SEGUNDA LEITURA (Rm 6,3-4.8-11)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

3Será que ignorais que todos nós, batizados em Jesus Cristo, é na sua morte que fomos batizados?

4Pelo batismo na sua morte, fomos sepultados com ele, para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim também nós levemos uma vida nova.

8Se, pois, morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele.

9Sabemos que Cristo ressuscitado dos mortos não morre mais; a morte já não tem poder sobre ele.

10Pois aquele que morreu, morreu para o pecado uma vez por todas; mas aquele que vive, é para Deus que vive.

11Assim, vós também considerai-vos mortos para o pecado e vivos para Deus, em  Jesus Cristo.

-Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(HL 3 p. 213-214) Fx 13

Aleluia, Aleluia, Aleluia! (bis)

Vocês são uma raça escolhida, * real sacerdócio, vocês, * de Deus cantem as grandezas, * pois, de trevas luz os fez!

10. EVANGELHO (Mt 10,37-42)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo, disse Jesus a seus apóstolos:

37“Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim. Quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim, não é digno de mim.

38Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim.

39Quem procura conservar a sua vida vai perdê-la. E quem perde a sua vida por causa de mim, vai encontrá-la.

40Quem vos recebe, a mim recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou.

41Quem recebe um profeta, por ser profeta, receberá a recompensa de profeta. E quem recebe um justo, por ser justo, receberá a recompensa de justo.

42Quem der, ainda que seja apenas um copo de água fresca, a um desses pequeninos, por ser meu discípulo, em verdade vos digo: não perderá a sua recompensa”.

- Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

11. HOMILIA          

12. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra,/ e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
/
nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; /ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja Católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna. Amém!

13. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, elevemos nossas preces a Deus Pai, por meio de Jesus Cristo, de quem somos discípulos e missionários, rezando juntos:

T. Atendei-nos, ó Senhor!

1. Pela Igreja, para seja autenticamente discípula e missionária.

2. Pelos doentes, pobres e oprimidos, para que não lhes falte o amor solidário.

3. Pelos cristãos, para que assumam a cruz como compromisso batismal.

4. Pelos evangelizadores, para que não lhes falte o necessário.

5. Pelas nossas paróquias, para que sejam centros de difusão missionária.

6. Pelos que sonham e lutam por um mundo melhor, para que perseverem até o fim.

(Outras preces comunitárias)

P. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

14. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS

(Fx 14)

1. Bendito e louvado seja, o Pai nosso Criador, * o pão que nós recebemos é prova do seu amor. * O pão que nós recebemos é prova do seu amor. * É o fruto de sua terra do povo trabalhador. * O fruto de sua terra do povo trabalhador, * na missa é transformado no corpo do Salvador.

Bendito seja Deus, bendito seu amor. * Bendito seja Deus Pai onipotente nosso Criador. (bis)

2. Bendito e louvado seja o Pai nosso Criador, * o vinho que recebemos é prova do seu amor. * O vinho que recebemos é prova do seu amor. * É o fruto de sua terra do povo trabalhador.
* O fruto de sua terra do povo trabalhador. * Na missa é transformado no sangue do Salvador.

15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Ó Deus, que nos assegurais os frutos dos vossos sacramentos, concedei que o povo reunido para vos servir corresponda à santidade de vossos dons. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA VI-D (MR. p. 860)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Pai misericordioso e Deus fiel. Vós nos destes vosso Filho Jesus Cristo, nosso Senhor e Redentor. Ele sempre se mostrou cheio de misericórdia pelos pequenos e pobres, pelos doentes e pecadores, colocando-se ao lado dos perseguidos e marginalizados. Com a vida e a palavra anunciou ao mundo que sois Pai e cuidais de todos como filhos e filhas. Por essa razão, com todos os Anjos e Santos, nós vos louvamos e bendizemos, e proclamamos o hino de vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, que amais os seres humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso Filho, presente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como outrora aos discípulos, ele nos revela as Escrituras e parte o pão para nós.

T. O vosso Filho permaneça entre nós!

CC. Nós vos suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e V o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.

T. Mandai o vosso Espírito Santo!

Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele, tomando o cálice em suas mãos, vos deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé.

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa res­sur­­reição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador, que pela paixão e morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção.

CC. Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresenta-mos o sacrifício pascal de Cristo, que vos foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos.

T. Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta!

1C. Senhor Deus, conduzi a vossa Igreja à perfeição na fé e no amor, em comunhão com o nosso Papa Bento, o nosso Bispo Odilo, com todos os Bispos, presbíteros e diáconos e todo o povo que conquistastes.

T. Confirmai o vosso povo na unidade!

2C. Dai-nos olhos para ver as necessidades e os sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs; inspirai-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos; fazei que, a exemplo de Cristo, e seguindo o seu mandamento, nos empenhemos lealmente no serviço a eles. Vossa Igreja seja testemunha viva da verdade e da liberdade, da justiça e da paz, para que toda a humanidade se abra à esperança de um mundo novo.

T. Ajudai-nos a criar um mundo novo!

3C. Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs (N.e N.), que adormeceram na paz do vosso Cristo, e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes: acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da ressurreição, a plenitude da vida.

T. Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna!

4C. Concedei-nos ainda, no fim da nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde viveremos para sempre convosco. E em comunhão com a bem-aventurada Virgem Maria, com os Apóstolos e Mártires, São Paulo Patrono da nossa Arquidiocese. e todos os Santos, vos louvaremos e glorifica-remos, por Jesus Cristo, vosso Filho.

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

17. RITO DA COMUNHÃO

P. Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor nos ensinou:

T. Pai nosso…

P. Livrai-nos de todos os males, ó Pai, e dai-nos hoje a vossa paz. Ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e protegidos de todos os perigos, enquanto,
vivendo a esperança, aguardamos a vinda do Cristo Salvador.

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

P. Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade. Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo.

T. Amém.

P. A paz do Senhor esteja sempre convosco.

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

P. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

18. CANTO DE COMUNHÃO

Sl 95(96) ( Fx 16)

Não é digno de mim todo aquele, * que não quer carre­gar sua cruz… * Quem, por causa de mim, perde a vida, * a encontra, depois, diz Jesus.

1. Um canto novo ao Senhor, * ó terras todas, cantai! * Louvai seu nome bendito, * diariamente aclamai! * Sua glória, seus grandes feitos * aos povos todos contai.

2. Ele é o maior dos senhores: * merece nosso louvor; * e mais do que aos deuses todos * nós lhe devemos temor. * Os outros deuses são nada, * ele é do céu criador.

3. Sabei que o Senhor é rei * e traz justiça a esta terra. * Alegrem-se o mar e os peixes * e tudo o que o mundo encerra. * Os campos, plantas, montanhas * e as árvores da floresta.

4. Ele é o Senhor do universo * e faz justiça a seu povo. * Aos povos há de julgar, * reinando no mundo todo * por isso, a ele cantai, * ó terras, um canto novo!

19. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, o Corpo e Sangue de Jesus Cristo, que oferecemos em sacrifício e recebemos em comunhão, nos transmitam uma vida nova, para que, unidos a vós pela caridade que não passa, possamos produzir frutos que permaneçam. Por Cristo, nosso Senhor.           

T. Amém.

20. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém

21. BÊNÇÃO E DESPEDIDA MR 526 – IV

22. CANTO FINAL (VC 637 – CO 1425)

1. Quando o dia da paz renascer * quando o sol da esperança brilhar * eu vou cantar! • Quando o povo nas ruas sorrir, * e a roseira de novo florir, * eu vou cantar!• Quando as
cercas caírem no chão * quando as mesas se encherem de pão, * eu vou cantar! • Quando os muros que cercam os jardins, * destruídos então os jasmins, * vão perfumar.

Vai ser tão bonito se ouvir a canção, * cantada de novo. * No olhar do homem a certeza do irmão: * reinado do povo.

2. Quando as armas da destruição, * destruídas em cada nação, * eu vou sonhar!•E o decreto que encerra a opressão * assinado só no coração * vai triunfar!• Quando a voz da
verdade se ouvir * e a mentira não mais existir, * será enfim, • tempo novo de eterna justiça, * sem mais ódio, sem sangue ou cobiça: * vai ser assim.

Músicas: CD LitúrgicoTempo Comum VI (Ed. Paulus )

Cantos e Orações  Ed. Vozes

1º de Julho: Solenidade do Sagrado Coração de Jesus

Dia Mundial de Oração pela santificação do Clero.

Participe da missa em sua Comunidade ou na Catedral, às 9:00h

PRÓXIMO DOMINGO: DIA DO PAPA E ÓBOLO DE SÃO PEDRO

LEITURAS DA SEMANA: de 27 de Junho a 3 de Julho de  2011

l2ª-:Gn 18, 16-33; Sl 102 (103), 1-2. 3-4. 8-9. 10-11 (R/. 8a); Mt 8, 18-22

l3ª-: Gn 19, 15-29; Sl 25 (26), 2-3. 9-10. 11-12 (R/. 3a); Mt 8, 23-27

l4ª-: Gn 21, 5.8-20; Sl 33 (34), 7-8. 10-11. 12-13 (R/. 7a); Mt 8, 28-34

l5ª-: Gn 22, 1-19; Sl 114 (115), 1-2. 3-4. 5-6. 8-9 (R/. 9); Mt 9, 1-8

l6ª-: Dt 7, 6-11; Sl 102 (103), 1-2. 3-4. 6-7. 8. 10 (R/. 17); 1Jo 4, 7-16; Mt 11, 25-30

lSab-: At 3, 1-10; Sl 18 (19), 2-3. 4-5 (R/. 5a); Gl 1, 11-20; Jo 21, 15-19

lDom. SÃO PEDRO e SÃO PAULO At 12, 1-11; Sl 33 (34), 2-3. 4-5. 6-7. 8-9 (R/. 5); 2Tm 4, 6-8.17-18; Mt 16, 13-19

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_TC13.htm


• SÃO PAULO • 23 DE JUNHO DE 2011 • ANO 35 • Lt. 05 • Nº 39 •A

junho 19, 2011

SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

 Anim. Celebramos hoje o mistério da Eucaristia e enaltecemos a presença de Cristo no pão e no vinho consagrados. Nesse dom precioso que Cristo fez à sua Igreja resplandece o mistério do amor que atravessa os séculos, fazendo a humanidade participar da vida divina. Pão da vida e cálice da bênção são realidades que fazem da Eucaristia a comida e a
bebida da Igreja em marcha para Deus. Que nossas paróquias e comunidades sejam expressão do amor eucarístico testemunhado em nossa missão.

1. ABERTURA (HL2 p.32-CD FL II Fx 01)

1. Todos convidados * cheguem ao banquete do Senhor * festa preparada, bem participada, * venham partilhar do pão do amor.

Cristo pão dos pobres, * juntos nesta mesa, * pois a Eucaristia faz a Igreja. (bis)

2. Vejam quanta fome, * muitos lares sem ternura e pão * dor e violência, quanta resistência!* Vamos acolher a cada irmão.

3. Vamos gente unida * resgatar a paz nesta cidade,* ser o sal da terra, ser a luz do mundo, * espalhar justiça e caridade

4. Jovens e famílias, * vida nova venham assumir, * evangelizando, Cristo anunciando * para o mundo novo construir.

5. Páscoa celebrada, * nosso testemunho é conversão. * Corpo ofertado, sangue derramado.* vou ser solidário na missão.

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

3. ATO PENITENCIAL

P. No início desta celebração eucarística, peçamos a conversão do coração, fonte de reconciliação e comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs.

(Pausa)

P. Confessemos os nossos pecados:

T. Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas,

T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos
glorificamos, /
nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade denós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento, nos deixastes o memorial da vossa paixão. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso Corpo e do vosso Sangue, que possamos colher continuamente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo.

T. Amém.

Anim. Ouçamos as leituras que revelam o mistério eucarístico que hoje celebramos e nos conduzem à comunhão.

6. PRIMEIRA LEITURA (Dt 8,2-3.14b.16)

Leitura do livro do Deuteronômio

Moisés falou ao povo, dizendo:

2Lembra-te de todo o caminhopor onde o Senhor teu Deus te conduziu, esses quarenta anos, no deserto, para te humilhar e te pôr à prova, para saber o que tinhas no teu coração

e para ver se observarias ou não seus mandamentos.

3Ele te humilhou, fazendo-te passar fome e alimentando-te com o maná que nem tu nem teus pais conhecíeis, para te mostrar que nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca do Senhor.

14Não te esqueças do Senhor teu Deus que te fez sair do Egito, da casa da escravidão,

15e que foi teu guia no vasto e terrível deserto, onde havia serpentes abrasadoras, escorpiões, e uma terra árida e sem água nenhuma. Foi ele que fez jorrar água para ti da pedra duríssima,

16e te alimentou no deserto com maná, que teus pais não conheciam.

- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

7. SALMO RESPONSORIAL (Sl 147) (Fx 02)

Glorifica o Senhor, Jerusalém; * celebra o teu Deus, ó Sião!

1. Glorifica o Senhor, Jerusalém! * Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! * Pois reforçou com segurança as tuas portas, * e os teus filhos em teu seio abençoou.

2. A paz em teus limites garantiu * e te dá como alimento a flor do trigo * Ele envia suas ordens para a terra, * e a palavra que ele diz corre veloz.

3. Anuncia a Jacó sua palavra, * seus preceitos e suas leis a Israel. * Nenhum povo recebeu tanto carinho, * a nenhum outro revelou os seus preceitos.

8. SEGUNDA LEITURA – (1Cor 10,16-17)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios

Irmãos:

16O cálice da bênção, o cálice que abençoamos, não é comunhão com o sangue de Cristo? E o pão que partimos, não é comunhão com o corpo de Cristo?

17Porque há um só pão, nós todos somos um só corpo, pois todos participamos desse único pão.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

9. SEQUÊNCIA (Fx 05 – CO 403)

1. Terra, exulta de alegria, * louva teu pastor e guia * //com teus hinos, tua voz.//

2. Tanto possas, tanto ouses, * em louva-lo não repouses: * // sempre excede o teu louvor. //

3. Hoje a Igreja te convida: * ao pão vivo que dá vida, * // vem com ela celebrar.//

4. Este pão, que o mundo creia, * por Jesus, na santa ceia, * // foi entregue aos que escolheu.//

5. Nosso júbilo cantemos, * nosso amor manifestemos, * // pois transborda o coração.//

6. Quão solene a festa, o dia, * que da santa Eucaristia * // nos recorda a instituição.//

7. Novo Rei e nova mesa, * nova Páscoa e realeza, * // foi-se a páscoa dos judeus.//

8. Era sombra o antigo povo, * o que é velho cede ao novo, * // foge a noite, chega a luz.//

9. O que o Cristo fez na ceia, * Manda à Igreja que o rodeia *// repeti-lo até voltar.//

10. Seu preceito conhecemos: * pão e vinho consagremos * //para a nossa salvação.//

11. Faz carne o pão de trigo, * faz-se sangue o vinho amigo * //para nossa salvação.//

12. Se não vês nem compreendes.* gosto e vista tu transcendes, *//elevado pela fé.//

13. Pão e vinho, eis o que vemos; * mas ao Cristo é que nós temos * //em tão ínfimos sinais.//

14. Alimento verdadeiro, * permanece o Cristo inteiro * //quer no vinho quer no pão.//

15. É por todos recebido, * não em parte ou dividido, *//pois inteiro é que se dá.??

16. Um por mil comungam dele, * tanto este como aquele: *//multiplica-se o Senhor.//

10. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Fx 06)

Aleluia, aleluia, aleluia. (bis)

Eu sou o pão vivo descido do céu;* quem deste pão come, sempre há de viver.

11. EVANGELHO (Jo 6,51-58)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo, disse Jesus às multidões dos judeus:

51“Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo”.

52Os judeus discutiam entre si, dizendo: “Como é que ele pode dar a sua carne a comer?”

53Então Jesus disse:“Em verdade, em verdade vos digo, se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós.

54Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.

55Porque a minha carne é verdadeira comida e o meu sangue, verdadeira bebida.

56Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.

57Como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo por causa do Pai, assim o que me recebe como alimento viverá por causa de mim.

58Este é o pão que desceu do céu. Não é como aquele que os vossos pais comeram. Eles morreram. Aquele que come este pão viverá para sempre”.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

12. HOMILIA

13. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra,/ e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
/
nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; /ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja Católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna. Amém

14. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, elevemos nossas preces ao Pai, que nos deu o Cristo eucarístico, suplicando-lhe com fé:

T. Fortalecei-nos, Senhor, com o alimento da eternidade.

1. Pai Santo, abençoai a Igreja, que faz a Eucaristia e, ao mesmo tempo, é constituída por ela.

2. Dai-nos sempre o Pão da caminhada, alimento santo da nossa jornada.

3. Intensificai nossa luta contra o mal e uni as nossas forças como o trigo feito pão.

4. Fazei de nossas paróquias redes de comunidades a serviço da comunhão.

5. Curai os doentes, consolai os aflitos e alimentai os que sonham e lutam por um mundo novo.

6. Dai-nos caminhar sem descanso até a Pátria definitiva, fazendo desta vida uma páscoa de libertação.

(Outras preces da comunidade)

P. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

15. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS(Fx 7)

1. Tanta gente vai andando na procura de uma luz, * caminhando na esperança se aproxima de Jesus. * No deserto sente fome, e o Senhor tem compaixão. * Comunica sua palavra: vai
abrindo o coração.

Dai-lhes vós mesmos de co­mer, * que o milagre vai acontecer. (bis)

2. Quando o pão é partilhado, passa a ter gosto de amor. * Quando for acumulado gera morte traz a dor. * Quando o pouco que nós temos se transforma em oblação, * o milagre da
partilha serve a mesa dos irmãos.

3. No altar da Eucaristia, o Senhor vem ensinar * que o amor é verdadeiro, quando a vida se doar. * Peregrinos, caminheiros, vamos juntos como irmãos, * na esperança repartindo a palavra e o mesmo pão.

4. Deus nos fez à sua imagem, por amor acreditou. * Deu-nos vida e liberdade, tantos dons nos confiou. * Responsáveis pelo mundo para a vida promover. * Desafios que nos chegam vamos juntos resolver.

16. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Concedei, ó Deus, à vossa Igreja os dons da unidade e da paz, simbolizados pelo pão e vinho que oferecemos na sagrada Eucaristia. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

17. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III

(Pref. da Santíssima Eucaristia II, p. 440)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Senhor nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Reunido com os Apóstolos na última Ceia, para que a memória da Cruz salvadora permane­cesse para sempre, ele se ofereceu a vós como cordeiro sem mancha e foi aceito como sacrifício de perfeito louvor. Pela comunhão neste sublime sacramento, a todos nutris e santificais. Fazeis de todos um só coração, iluminais os povos com a luz da mesma fé e congregais os cristãos na mesma caridade. Aproximamo-nos da mesa de tão grande mistério, para encontrar por vossa graça a garantia da vida eterna. Por essa razão, com os anjos e todos os santos, entoamos um cântico novo para proclamar a vossa bondade, cantando (dizendo) a uma só voz…

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr-do-sol, um sacrifício perfeito.

T. Santificai e reuni o vosso povo!

CC. Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e V o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos
repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, São Paulo, patrono da nossa Arquidiocese, N. e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença.

T. Fazei de nós uma perfeita oferenda!

2C. E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o Papa Bento, o nosso bispo Odilo, com os Bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.

T. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!

Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso.

T. A todos saciai com vossa glória!

Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça.

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

18. RITO DA COMUNHÃO

19. PAI NOSSO

P. Iluminados pela sabedoria do Evangelho, ousamos dizer:

T. Pai nosso…

P. Livrai-nos de todos os males, …

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

P. Senhor Jesus Cristo, …

T. Amém!

P. A paz do Senhor…

20. CANTO DE COMUNHÃO (Fx 08 – VC nº16)

Eu sou o pão que vem do céu, * Quem crer em mim, irá viver!

1. Nós reconhecemos o Senhor, partindo o pão, * Mistério de amor, a nossa refeição. (Lc 24,13)

2. O Senhor Jesus no Sacramento nos deixou * memorial da cruz: morte e ressurreição.

3. Tão grande mistério adoramos, neste altar, * que nossa fé sustente o nosso caminhar!

4. Ao Povo de Deus, lá no deserto, sem pão, sem lar, * Deus fez cair do céu comida salutar.

5. Todos se assentaram, todos comeram, até se fartar, * glória e louvor a Deus, que vem nos saciar!

6. Corpo do Senhor é o pão que temos no altar * e o vinho consagrado é o sangue Redentor.

21. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Dai-nos, Senhor Jesus, possuir o gozo eterno da vossa divindade, que já começamos a saborear na terra, pela comunhão do vosso Corpo e do vosso Sangue. Vós que viveis e reinais para sempre.

T. Amém.

22. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém

23. BÊNÇÃO E DESPEDIDA MR. 525

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Deus vos abençoe e vos guarde.

T. Amém.

P. Ele vos mostre sua face e se compadeça de vós.

T. Amém.

P. Volva para vós o seu olhar e vos dê a sua paz.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

24. CANTO FINAL (HL3, p.411 – CO 631)

Povos todos, louvai ao Senhor, Exaltemos, juntos, seu nome e seu louvor!

1. As maravilhas do poder de Deus, por toda a terra, clamam para nós: que ele é grande, onipotente! Louvado seja o Deus da criação!

2. As maravilhas do amor de Deus, por toda a história, clamam para nós: que ele é bondade, misericórdia! Louvado seja o Deus da Salvação!

Músicas: CD Festas Litúrgicas II (Ed. Paulus )

Cantos e Orações  Ed. Vozes

LEITURAS DA SEMANA: de 24 a 26 de Junho de  2011

l6ª -: Is 49, 1-6; Sl 138 (139), 1-3. 13-14ab. 14c 15 (R/. 14a); At 13, 22-26; Lc 1, 57-66.80

lSab-: Gn 18, 1-15; Cânt.: Lc 1, 46-47. 48-49. 50 e 53. 54-55 (R/. cf. 54b); Mt 8, 5-17

l 13º DOM.TC 2Rs 4, 8-11.14-16ª; Sl 88 (89), 2-3. 16-17. 18-19 (R/.2a); Rm 6, 3-4.8-11; Mt 10, 37-42

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_corpus_christi.htm


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.