A intercessora do povo

outubro 13, 2010

Imagem de Destaque

Solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida

“Com grande alegria rejubilo-me no Senhor, e minha alma exultará no meu Deus, pois me revestiu de justiça e salvação, como a noiva ornada de suas jóias”

O Brasil está unido, de norte a sul, de leste a oeste, para a grande festa de nossa excelsa padroeira: a Virgem da Conceição, Aparecida das águas do Rio Paraíba, no vale do mesmo nome, no ano de 1717. A devoção a Virgem Maria que nos abre o caminho mais rápido para contemplarmos a Santíssima Trindade.

No majestoso Santuário Nacional de Nossa Senhora, na paulista Aparecida, ou nas Catedrais, Igrejas Matrizes, Igrejas Filiais e Capelanias de todo o imenso território nacional os fiéis precedidos de seus Pastores, louvam a Deus, por intermédio de sua Mãe que nos legou o mais simples e profundo modo de seguir a Jesus Cristo, o Redentor: “Fazei tudo o que Ele vos Disser!”.(cf. Jo 2, 5)

Maria deve ser colocada, dentro de um bom entendimento da liturgia de hoje, como a intercessora do povo, como principal padroeira do povo Brasileiro.

Virgem Aparecida nos traz recordações importantes na vida cristã: como a ternura maternal da Virgem, sua dedicação a Jesus como mulher de fé, seu serviço prestado a toda a humanidade. Em Maria temos o mais perfeito exemplo do discípulo e da discípula de Jesus, que sabe cumprir os mandamentos e fazer realizar a única vontade do Pai, que se concretiza na salvação do povo de Deus.

A Virgem Maria deve ser apresentada como o Modelo acabado de fidelidade do ser humano a Deus. Maria da fraternidade. Maria da acolhida. Maria da graça. Maria da partilha. Maria da misericórdia. Maria da graça santificante. Maria da generosidade. Maria do serviço!

Relembramos assim, a visita do Conde de Assumar, em 1717, em Guaratinguetá, quando os pescadores Domingos Garcia, João Alves e Felipe Pedroso foram escalados para pescar peixes para a refeição da visita ilustre, sendo este dia uma sexta-feira, dia de abstinência de carne. Os homens simples do Vale do Paraíba nada pescaram. Quando já estavam quase desanimando jogaram a rede e retiram uma imagem pequena de Nossa Senhora da Conceição, um pouco enegreada pela água, sem a cabeça. Outro arremesso. Veio a cabeça da imagem. Assim prosseguiu mais um arremesso e veio a pesca abundante. Deus abençoava, naquele momento, os três pescadores.

A imagem da Virgem da Conceição, feita de barro cozido, enegrecida pelas águas e pelo tempo, medindo 36 cm, foi levada para o culto divino. Em 1745 foi construída uma Capela no alto do Morro dos Coqueiros. Nascia, assim, a devoção a Virgem Aparecida, Mãe do Povo Brasileiro. Em 1888 foi substituída a primitiva capela por uma Igreja. Em 1894 a Igreja e a devoção a Nossa Senhora foi enriquecida pela presença dos Missionários Redentoristas que passaram a gerir o Santuário Nacional.

Desde 1953, a festa de Nossa Senhora Aparecida, tem como dia de celebração o dia 12 de outubro. Desde 1930 Nossa Senhora Aparecida abençoa o povo brasileiro como sua Padroeira Nacional. Em 4 de Julho de 1980 o Sumo Pontífice João Paulo II, de venerável memória, consagrou o novo Santuário Nacional. Em 13 de maio de 2007, o Sumo Pontífice Reinante, Papa Bento XVI, abriu a V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e caribenho nos fazendo o doce convite para “sermos discípulos e missionários de Jesus Cristo para que todos tenham vida e vida plenamente”. Na véspera deste memorável encontro, no interior da majestosa Basílica, o Santo Padre rezara o terço com os ministros sagrados e o povo de Deus, na mais cândida homenagem a Maria que abençoa o povo brasileiro.

A história ensina que Maria é a verdadeira salvaguarda da fé; em cada crise, a Igreja reúne-se à volta d’Ela. Só assim os discípulos do Senhor poderão ser para os outros sal da terra a luz do mundo (cf. Mt 5, 13.14). “Feliz do povo, cujo Senhor é Deus, cuja Rainha é a Mãe de Deus!” Assim proclamava o Papa Pio XII e assim poderá exclamar essa dileta arquidiocese de Aparecida, se devidamente souber voltar os olhos para Aquela que gerou, por obra do Espírito Santo, o Verbo feito carne. É que a missão essencial da Igreja consiste precisamente em fazer nascer Cristo no coração dos fiéis (cf. Lumen gentium, 65) pela ação do mesmo Espírito Santo, através da evangelização.

Salvos das águas pela fé e pelo Batismo, os cristãos podem atingir algo daquilo que contemplam na Virgem Aparecida, a Imaculada, se seguirem o seu conselho: “Fazei tudo o que Ele vos disser!”. Esta parte fica como a nossa missão na festa da Virgem Maria Aparecida. Amém!

Padre Wagner Augusto Portugal.
Vigário Judicial da Diocese da Campanha(MG)

12/10/2010 – 00h00

 

Anúncios

Para o relacionamento a palavra-chave é superação

outubro 5, 2010

Imagem de Destaque

As quatro fases dos relacionamentos

Quando se começa um relacionamento, qualquer que seja ele: de esposos ou familiar, de pais e filhos, entre parentes e até entre amigos, acontece, a meu ver, um processo de entrelaçamento de vida, apresentando na prática em 4 fases distintas: o encantamento, o sofrimento, a decepção e a superação.

A primeira fase do relacionamento é o encantamento, porque é a fase inicial, quando se conhece a pessoa, no caso do pai ou da mãe quando vê o filho recém-nascido, eles “babam” de encantamento. Quando um casal começa a namorar é a mesma reação, tudo leva a olhar com amor, a querer bem, os defeitos ficam totalmente obscurecidos pela paixão, é um encantamento. O mesmo acontece com todos os tipos de relacionamentos humanos.

Com o passar do tempo, as pessoas, principalmente as que vivem juntas, começam a se ferir com os desencontros de opiniões, as discussões, os desencontros e brigas, palavras colocadas inadequadamente, egoísmos. É a fase do sofrimento. Amar nos provoca muito sofrimento e também fazemos sofrer a quem mais amamos. E é natural que isso aconteça, porque a pessoa traz em si misérias e pecados que acabam se revelando no processo de comunicação; em meio às virtudes, que todos temos, estes pecados sempre acabam provocando sofrimento nas pessoas com quem convivemos.

O relacionamento chega ao ápice da crise quando a pessoa amada se mostra totalmente o oposto do que havíamos sonhado [que ela fosse]. Isso porque nós temos a facilidade de idealizar as pessoas e construir “castelos de areia” sobre o que imaginamos que elas sejam ou possam ser. Na fase da decepção, quando tudo isso cai por terra por traições físicas ou espirituais, resta um grande vazio no relacionamento e há a vontade de desistir de tudo por conta da quebra de qualquer expectativa de possibilidade de viver com essa pessoa que nos decepcionou profundamente; fato este que gera mágoas e ressentimentos enormes e uma verdadeira crise. Todos nós já decepcionamos alguém e fomos decepcionados no processo de vida em comum.

Vejo que a crise (e no casamento acontecem muitas) é também muito importante para o crescimento espiritual do casal. Porque só se cresce a partir de crises. A este crescimento eu chamo de superação, que é a fase madura do relacionamento. A superação é a recuperação da fase do encantamento por meio de atitudes de acolhimento da fraqueza da outra pessoa. Num relacionamento dilacerado pelas fases intermediárias (sofrimento e decepção) a superação é a busca de um novo entendimento, visando uma nova relação humana, pautada no conhecimento profundo, sem máscaras ou fingimentos.

Superação é a “palavra-chave” do relacionamento, pois ninguém se exime de viver a decepção e o sofrimento provocado pelo outro. O caminho que proponho é buscar o diálogo a cada momento, visando superar tudo isso e reavivar o amor, tendo como premissa o amor de Deus, que é grandioso, que perdoa sempre e supera nossa humanidade ferida pelo pecado, dando-nos a cada dia uma nova chance, um começar tudo de novo, com a alma lavada pelo Seu Sangue e totalmente perdoada. Olhando para esta atitute do Senhor dê passos para viver essa superação em seus relacionamentos humanos.

Deus o abençoe!

Diácono Paulo Lourenço

28/09/2010 – 00h00
Retirado:http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?e=12033

A arte de reconciliar-se com os próprios limites

outubro 4, 2010

Imagem de Destaque

Ninguém consegue ser perfeito em todas as coisas

A limitação é uma realidade profundamente inerente ao humano. Ser gente significa ser essencialmente limitado e marcado pela fragilidade.

Não existem super-homens – por mais que a sociedade e as circunstâncias atuais façam com que muitos acreditem sê-lo –, toda pessoa humana é marcada por algum tipo de imperfeição, com a qual, em algum momento de sua história, terá que se encontrar.

Ninguém é bom em tudo, ninguém consegue ser perfeito em todas as dimensões de sua vida: há quem seja bom no trabalho, mas falho nos estudos; assim como há aqueles que são perfeitos em casa como pais e esposos, mas nunca conseguem ascensão profissional; ainda existem aqueles que são ótimos nos esportes e péssimos na dimensão relacional/afetiva; da mesma forma, há os que possuem muitos amigos, mas não conseguem se firmar em um namoro ou relacionamento sério; e assim por diante. Todos portamos algum tipo de imperfeição e limite, com os quais teremos de aprender a “dialogar” em nossa trajetória pela vida.

A verdadeira virtude consiste em saber, de fato, dialogar com os próprios limites, reconciliando-se constantemente com eles e buscando realmente integrá-los àquilo que somos, visto que somos um “acontecimento” composto por virtude e fraqueza.

A maturidade só será concebida no coração que soube relacionar seus prós e contras, suas virtudes e limites, integrando-os ao que se é (com consciência da própria verdade) e buscando assim potencializar as virtudes e trabalhar as fraquezas.

O autoconhecimento é essencial em todo processo de crescimento e maturação enquanto gente, e principalmente, o conhecimento dos próprios limites. Do contrário, a pessoa será eternamente escrava de uma ilusão desencarnada acerca de si, não podendo crescer e experienciar a alegria e a liberdade que brotam do fato de reconciliar-se com os próprios limites.

Há limites que poderemos vencer, contudo, há aqueles com quais teremos que aprender a conviver… Quem não aceita os próprios limites acabará empregando – inutilmente – uma imensa energia no combate a um inimigo fictício, gerando assim um conflito interior desnecessário, pelo fato de combater uma realidade que deveria, em vez de negada, ser agregada ao todo que o compõe.

O limite é algo natural e até mesmo pedagógico no processo humano: negá-lo seria negar a própria humanidade e dependência do Eterno.

Reconciliar-se com os próprios limites: eis um passo de sabedoria que nos faz mais completos e encontrados em nossa verdade. Tenhamos a coragem de assurmir tal postura e atitude, e contemplemos os belíssimos frutos que procederão de semelhante prática e compreensão.

Foto

Adriano Zandoná

verso.zandona@gmail.com
Adriano Zandoná Seminarista e Missionário da Comunidade Canção Nova. Reside na Missão de Cachoeira Paulista. É formado em Filosofia e em Teologia, e está preparando-se para a Ordenação Diaconal. Atualmente trabalha na Rádio Canção Nova, onde apresenta o programa “Viver Bem”. Acesse: blog.cancaonova.com/adrianozandona e acompanhe outros artigos do autor.

29/09/2010 – 08h00
Retirado:http://www.cancaonova.com/portal/canais/formacao/internas.php?e=12031

• SÃO PAULO • 19 DE DEZEMBRO DE 2010 • ANO 35 • LT. 8 • Nº 04 • A •

outubro 4, 2010

4º DOMINGO DO ADVENTO

Anim. No quarto e último Domingo do Advento, chegamos às portas do Natal e nosso coração já se rejubila pelo Cristo que vem. As novenas de Natal estão aquecendo muitos corações na fé e aproximando muitas pessoas. Nossa espiritualidade se fortaleceu por meio da vigilância e da oração. Sentimo-nos realmente novas criaturas em Cristo e, por isso, o Natal será celebrado com espírito cristão e não com espírito de consumo. Aproveitemos os dias que ainda temos pela frente para mergulhar na profundidade do Mistério da nossa redenção, sabendo que nesta Semana a liturgia dá grande relevo à Virgem Maria.

1. ABERTURA Sl 84(85) (Fx 5)

Das alturas orvalhem os céus * e as nuvens que chovam justiça, * que a terra se abra ao amor * e germine o Deus Salvador. (bis)

1. Foste amigo, antigamente, * desta terra que amaste, * deste povo que escolheste; * sua sorte melhoraste, * perdoaste seus pecados, * tua raiva acalmaste.

2. Vem, de novo, restaurar-nos! * Sempre irado estarás, * indignado contra nós? * E a vida não darás? * Salvação e alegria, * outra vez, não nos trarás?

3. Escutemos suas palavras, * é de paz que vai falar; * paz ao povo, a seus fiéis, * a quem dele se achegar. * Está perto a salvação * e a glória vai voltar.

4. Eis: amor, fidelidade * vão unidos se encontrar, * bem assim, justiça e paz * vão beijar-se e se abraçar. * Vai brotar fidelidade * e justiça se mostrar.

5. E virão os benefícios * do Senhor a abençoar; * e os frutos do amor * desta terra vão brotar, * a justiça diante dele * e a paz o seguirá.

2. SAUDAÇÃO

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai.

1. Senhor, que vindes visitar vosso povo na paz, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

2. Cristo, que vindes salvar o que estava perdido, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

3. Senhor, que vindes criar um mundo novo, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Deus todo-poderoso, tenha com -paixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

4. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Derramai, ó Deus, a vossa graça em nossos corações para que, conhecendo pela mensagem do Anjo a encarnação do vosso Filho, cheguemos, por sua paixão e cruz, à glória da ressurreição. Por N.S.J.C.

T. Amém.

Anim. Neste último Domingo do Advento, ouçamos piedosamente o que a Palavra de Deus nos diz, a fim de que possamos, como a Virgem Maria, acolher o Menino Deus que vem nos salvar.

5. PRIMEIRA LEITURA (Is 7,10-14)

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

Naqueles dias,

10o Senhor falou com Acaz, dizendo:

11“Pede ao Senhor teu Deus que te faça ver um sinal,

quer provenha da profundeza da terra,

quer venha das alturas do céu”.

12Mas Acaz respondeu:

“Não pedirei nem tentarei o Senhor”.

13Disse o profeta:

“Ouvi então, vós, casa de Davi;

será que achais pouco incomodar os homens

e passais a incomodar até o meu Deus?

14Pois bem, o próprio Senhor vos dará um sinal.

Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho,

e lhe porá o nome de Emanuel.– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

6. SALMO RESPONSORIAL 23(24) (Fx 11)

Abre as portas, deixa entrar o rei da glória. * É o tempo, ele vem orientar a nossa história.

1. Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra; * o mundo inteiro com os seres que o povoam; * porque ele a tornou firme sobre os mares * e sobre as águas a mantém inabalável.

2. “Quem subirá até o monte do Senhor, * quem ficará em sua santa habitação?” * Quem tem mãos puras e inocente o coração, * quem não dirige sua mente para o crime”.

3. “Sobre este desce a bênção do Se -nhor * e a recompensa de seu Deus e Salvador. * É assim a geração dos que o procuram, * e do Deus de Israel buscam a face”.

7. SEGUNDA LEITURA (Rm1,1-7)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

1Eu, Paulo, servo de Jesus Cristo, apóstolo por vocação,

escolhido para o Evangelho de Deus,

2que pelos profetas havia prometido,

nas Sagradas Escrituras,

3e que diz respeito a seu Filho,

descendente de Davi segundo a carne,

4autenticado como Filho de Deus com poder,

pelo Espírito de Santidade que o ressuscitou

dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor.

5É por Ele que recebemos a graça da vocação

para o apostolado,

a fim de podermos trazer à obediência da fé

todos os povos pagãos,

para a glória de seu nome.

6Entre esses povos estais também vós,

chamados a ser discípulos de Jesus Cristo.

7A vós todos que morais em Roma,

amados de Deus e santos por vocação,

graça e paz da parte de Deus, nosso Pai,

e de nosso Senhor, Jesus Cristo.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO( Fx3)

Aleluia, aleluia! (bis)

Uma virgem conceberá (bis) * e um Filho à luz dará (bis) * Deus conosco, Emanuel! (bis).

9. EVANGELHO (Mt 1,18-24)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. 18A origem de Jesus Cristo foi assim:

Maria, sua mãe, estava prometida em casamento

a José, e, antes de viverem juntos,

ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.

19José, seu marido, era justo

e, não querendo denunciá-la,

resolveu abandonar Maria, em segredo.

20Enquanto José pensava nisso,

eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho,

e lhe disse: “José, Filho de Davi,

não tenhas medo de receber Maria como tua esposa,

porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo.

21Ela dará à luz um filho,

e tu lhe darás o nome de Jesus,

pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.

22Tudo isso aconteceu para se cumprir

o que o Senhor havia dito pelo profeta:

23“Eis que a virgem conceberá

e dará à luz um filho.

Ele será chamado pelo nome de Emanuel,

que significa: Deus está conosco”.

24Quando acordou,

José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado,

e aceitou sua esposa.

– Palavra da salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

10. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra, / e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; / ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna. Amém.

11. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, elevemos a Deus Pai nossas preces, suplicando-lhe, sobretudo, a conversão do coração e o acolhimento ao Mistério da nossa salvação que celebramos no Natal. Rezemos juntos:

T. Convertei os corações ao Cristo que vem!

1. Para que a Santa Igreja celebre o Natal acolhendo Jesus como Maria, José e os pastores de Belém, rezemos ao Senhor.

2. Para que o mundo, iluminado pelas luzes do Natal, deixe-se converter pela Luz da salvação, rezemos ao Senhor.

3. Para que os que estão perdidos nas trevas do pecado e dos vícios acolham o Cristo Salvador, rezemos ao Senhor.

4. Para que os excluídos sejam contemplados de alguma forma em nossas celebrações, rezemos ao Senhor.

5. Para que as famílias acolham o amor e a paz trazidos por Jesus, rezemos ao Senhor.

6. Para que os povos em guerra sejam tocados pela Paz que vem de Deus, rezemos ao Senhor.

(outras preces da comunidade)

T. Senhor, escutai a nossa prece.

P. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo nosso Senhor.

T. Amém.

12. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS

(Fx 10)

1. As nossas mãos se abrem, * Mesmo na luta e na dor * E trazem pão e vinho, * para esperar o Senhor.

Deus ama os pobres * e se fez pobre, também * desceu à terra * e fez pousada em Belém.

2. As nossas mãos se elevam, * para, num gesto de amor, retribuir a vida, * que vem das mãos do Senhor.

3. As nossas mãos se encontram * na mais fraterna união. * Fa çamos deste mundo, * a grande “Casa do Pão”!

4. As nossas mãos sofridas, * nem sempre têm o que dar, * mas vale a própria vida * de quem prossegue a lutar.

13. ORAÇÃO

P. Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso.

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

SOBRE AS OFERENDAS

P. Ó Deus, que o mesmo Espírito Santo, que trouxe a vida ao seio de Maria, santifique estas oferendas colocadas sobre o vosso altar. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III

(Pref. ADV II A, MR, p. 409)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso. Nós vos louvamos, bendizemos e glorificamos pelo mistério da Virgem Maria, Mãe de Deus. Do antigo adversário nos veio a desgraça, mas do seio virginal da Filha de Sião germinou aquele que nos alimenta com o pão do céu e garante para todo o gênero humano a salvação e a paz. Em Maria, é-nos dada de novo a graça que por Eva tínhamos perdido. Em Maria, mãe de todos os seres humanos, a maternidade, livre do pecado e da morte, se abre para uma nova vida. Se grande era a nossa culpa, bem maior se apresenta a divina misericórdia em Jesus Cristo, nosso Salvador. Por isso, enquanto esperamos sua chegada, unidos aos anjos e a todos os santos, cheios de esperança e alegria, nós vos louvamos, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr-do-sol, um sacrifício perfeito.

T. Santificai e reuni o vosso povo!

CC. Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e V o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, São Paulo, patrono da nossa Arquidiocese, N. e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença.

T. Fazei de nós uma perfeita oferenda!

2C. E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o Papa Bento, o nosso bispo Odilo, com os Bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.

T. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!

Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso.

T. A todos saciai com vossa glória!

Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça.

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

15. PAI NOSSO

P. Obedientes à palavra do Salvador e formados por seu divino ensina mento, ousamos dizer:

T. Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

P. Livrai-nos de todos os males, ó Pai, e dai-nos hoje a vossa paz. Ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e protegidos de todos os perigos, enquanto vivendo a esperança, aguardamos a vinda do Cristo Salvador.

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

P. Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade. Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo.

T. Amém.

P. A paz do Senhor esteja sempre convosco.

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus …

P. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

16. CANTO DE COMUNHÃO (Fx 12)

O Senhor fez em mim maravilhas * Santo é seu nome. (bis)

1. A minh’alma engrandece o Senhor * e exulta o meu espírito em Deus, meu Salvador. * Porque olhou para a humildade de sua serva, * doravante as gerações hão de chamar-me de bendita.

2. O Poderoso fez em mim maravilhas, * e santo é o seu nome. * Seu amor para sempre se estende * sobre aqueles que o temem.

3. Manifesta o poder de seu braço, * dispersa os soberbos; * derruba os poderosos de seus tronos * e eleva os humildes.

4. Sacia de bens os famintos, * despede os ricos sem nada. * Acolhe Israel, seu servidor, * fiel ao seu amor.

5. Como havia prometido a nossos pais, * em favor de Abraão e de seus filhos para sempre. * Glória ao Pai, ao Filho e ao Santo Espírito * desde agora e para sempre pelos séculos. Amém!

17. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus todo-poderoso, tendo nós recebido o penhor da eterna redenção, fazei que, ao aproximar-se a festa da salvação, nos preparemos com maior empenho para celebrar dignamente o mistério do vosso Filho. Que vive e reina para sempre.

T. Amém.

18. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

19. BÊNÇÃO E DESPEDIDA

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Que o Deus onipotente e misericordioso vos ilumine com o advento do seu Filho, em cuja volta esperais, e derrame sobre vós as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Que durante esta vida ele vos torne firmes na fé, alegres na esperança, e solícitos na caridade.

T. Amém.

P. Alegrando-vos agora pela vinda do Salvador feito homem, sejais recompensados com a vida eterna.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

20. CANTO FINAL (H1 p. S 36) (CO I)

1.Senhor, vem salvar teu povo * das trevas, da escravidão! * Só tu és nossa esperança, * és nossa li bertação!

Vem, Senhor, * vem nos salvar! * Com teu Povo * vem caminhar!

2. Contigo o deserto é fértil, * a terra se abre em flor, * da rocha brota água viva, * da treva nasce esplendor.

3. Tu marchas à nossa frente, * és força, caminho e luz. * Vem logo salvar teu povo. * Não tardes, Senhor Jesus!

COMUNHÃO Sl 147( Fx 8)

Ouço uma voz lá no deserto a gritar: * “Uma estrada preparai para o Senhor! * Endireitai os seus caminhos, pois, Ele vem” * e logo mais avistareis o Salvador!

1- Louva, Jerusalém, * louva o Senhor teu Deus: * tuas portas reforçou * e os teus abençoou.* Te cumulou de paz * e o pão do céu te traz.

2- Sua Palavra envia, * corre veloz sua voz.* Da névoa desce o véu,* unindo a terra e o céu; * as nuvens se desmancham, * o vento sopra e avança.

3- Ao povo revelou * palavras de amor. * A sua lei nos deu * e o mandamento seu;* com ninguém fez assim, * amou até o fim.

4- A virgem, mãe será, * um Filho à luz dará, * seu nome, Emanuel: * “Conosco Deus” do céu; * o mal desprezará, * o bem escolherá.

Músicas CD Lit IV Advento Ed. Paulus – CO Ed. Vozes

LEITURAS DA SEMANA: de 20 a 24de Dezembro de 2010

l2ª– Is 7, 10-14; Sl 23 (24), 1-2. 3-4ab. 5-6 (R/. cf. 7c e 10b); Lc 1, 26-38

l3ª– Ct 2, 8-14 ou Sf 3, 14-18a; Sl 32 (33), 2-3. 11-12. 20-21 (R/. 1a e 3a); Lc 1, 39-45

l4ª– 1Sm 1, 24-28; Cânt 1Sm 2, 1. 4-5. 6-7. 8abcd (R/. 1a); Lc 1, 46-56

l5ª– Ml 3, 1-4.23-24; Sl 24(25), 4-5ab. 8-9. 10 e 14 (R/. Lc 21,28); Lc 1, 57-66

l6ª– 2Sm 7, 1-5.8b-12.14a.16; Sl 88 (89), 2-3. 4-5. 27 e 29 (R/. cf. 2a); Lc 1, 67-79

lSáb. missa da noite de Natal: Is 9,1-6; Sl 95(96);Tt 2, 11-14; Lc2,1-14

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_Natal_advento04.htm


• SÃO PAULO • 12 DE DEZEMBRO DE 2010 • ANO 35 • LT. 8 • Nº 03 • A •

outubro 4, 2010

3º DOMINGO DO ADVENTO

COLETA PARA SUSTENTAÇÃO DA EVANGELIZAÇÃO

Anim. No terceiro Domingo do Advento, continuamos a aprofundar a nossa espiritualidade por meio da vigilância e da oração. Nesta semana, muitas famílias e Grupos de Rua começam a novena do Natal e será grande a alegria em nossas comunidades. A Campanha para a Evangelização chega ao seu auge com o gesto concreto da coleta em favor da nossa Igreja. Porém, o mais importante é não terminar aí esta campanha que ajudou a avivar os nossos corações para acolhermos Jesus e difundir a fé em nossa realidade. Dessa forma, o Natal será uma verdadeira festa iluminada pela alegria da nossa redenção.

1. ABERTURA Sl 85(84) (Fx5)

Alegrai-vos, irmãos, no Senhor, * sem cessar, eu repito, alegrai-vos; * veja o mundo a vossa bondade, * perto está o Senhor, em verdade.

1. Foste amigo, antigamente, * desta terra que amaste, * deste povo que escolheste; * sua sorte melhoraste, * perdoaste seus pecados, * tua raiva acalmaste.

2. Vem, de novo, restaurar-nos! * sempre irado estarás, * indignado contra nós? * E a vida não darás? * Salvação e alegria, * outra vez, não nos trarás?

3. Escutemos suas palavras, * é de paz que vai falar; * paz ao povo, a seus fiéis, * a quem dele se achegar. * Está perto a salvação * e a glória vai voltar.

4. Eis: amor, fidelidade * vão unidos se encontrar, * bem assim, justiça e paz * vão beijar-se e se abraçar. * Vai brotar fidelidade * e justiça se mostrar.

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai.

1. Senhor, que vindes visitar vosso povo na paz, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

2. Cristo, que vindes salvar o que estava perdido, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

3. Senhor, que vindes criar um mundo novo, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Deus, Pai misericordioso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

4. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus de bondade, que vedes o vosso povo esperando fervoroso o natal do Senhor, dai chegarmos às alegrias da Salvação e celebrá-las sempre com intenso júbilo na solene liturgia. Por N.S.J.C.

T. Amém.

Anim. Neste Domingo da Alegria, que transforma o Advento em feliz anúncio da encarnação do Verbo, ouçamos a mensagem das leituras, para que possamos celebrar o Natal como novas criaturas em Cristo Jesus.

5. PRIMEIRA LEITURA (Is 35,1-6.10)

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

1Alegre-se a terra que era deserta e intransitável,

exulte a solidão e floresça como um lírio.

2Germine e exulte

de alegria e louvores.

Foi-lhe dada a glória do Líbano,

o esplendor do Carmelo e de Saron;

seus habitantes verão a glória do Senhor,

a majestade do nosso Deus.

3Fortalecei as mãos enfraquecidas

e firmai os joelhos debilitados.

4Dizei às pessoas deprimidas:

“Criai ânimo, não tenhais medo!

Vede, é vosso Deus,

é a vingança que vem, é a recompensa de Deus;

é ele que vem para vos salvar”.

5Então se abrirão os olhos dos cegos

e se descerrarão os ouvidos dos surdos.

6O coxo saltará como um cervo

e se desatará a língua dos mudos.

10Os que o Senhor salvou, voltarão para casa.

Eles virão a Sião cantando louvores,

com infinita alegria brilhando em seus rostos:

cheios de gozo e contentamento,

não mais conhecerão a dor e o pranto.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

6. SALMO RESPONSORIAL 145(146)

(Fx9)

Vem Senhor, nos salvar * Vem sem demora nos dar a paz!(bis)

1. O Senhor é fiel para sempre, * faz justiça aos que são oprimidos; * Ele dá o alimento aos famintos, * é o Senhor quem liberta os cativos.

2. O Senhor abre os olhos aos cegos, * o Senhor faz erguer-se o caído; * o Senhor ama aquele que é justo, * é o Senhor que protege o estrangeiro.

3. Ele ampara a viúva e o órfão, * mas confunde os caminhos dos maus. * O Senhor reinará para sempre, * ó Sião, o teu Deus reinará!

7. SEGUNDA LEITURA (Tg 5,7-10)

Leitura da Carta de São Tiago.

Irmãos,

7ficai firmes até a vinda do Senhor.

Vede o agricultor:

ele espera o precioso fruto da terra e fica firme

até cair a chuva do outono ou da primavera.

8Também vós, ficai firmes e fortalecei vossos corações,

porque a vinda do Senhor está próxima.

9Irmãos, não vos queixeis uns dos outros,

para que não sejais julgados.

Eis que o juiz está às portas.

10Irmãos, tomai por modelo de sofrimento e firmeza

os profetas, que falaram em nome do Senhor.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus!

8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Fx3)

Aleluia, aleluia! (bis)

O Espírito consagrou-me (bis) * e mandou-me anunciar. (bis) * Boa nova para os pobres! * Aleluia, aleluia! (bis)

9. EVANGELHO (Mt 11,2-11)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós!

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo,

2João estava na prisão.

Quando ouviu falar das obras de Cristo,

enviou-lhe alguns discípulos, para lhe perguntarem:

3“És tu, aquele que há de vir,

ou devemos esperar um outro?”

4Jesus respondeu-lhes:

“Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo:

5os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam,

os leprosos são curados, os surdos ouvem,

os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados.

6Feliz aquele que não se escandaliza por causa de mim!”

7Os discípulos de João partiram,

e Jesus começou a falar às multidões, sobre João:

“O que fostes ver no deserto?

Um caniço agitado pelo vento?

8O que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas?

Mas os que vestem roupas finas

estão nos palácios dos reis.

9Então, o que fostes ver? Um profeta?

Sim, eu vos afirmo, e alguém que é mais do que profeta.

10É dele que está escrito:

‘Eis que envio o meu mensageiro à tua frente;

ele vai preparar o teu caminho diante de ti’.

11Em verdade vos digo, de todos os homens que já

nasceram, nenhum é maior do que João Batista.

No entanto, o menor no Reino dos Céus

é maior do que ele”.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

10. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. Criador do céu e da terra, / e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; / ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna. Amém.

11. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. irmãos e irmãs, certos de que a encarnação de Jesus renovou a criação, elevemos nossas preces ao Pai, suplicando-lhe a graça de que todos conheçam, amem e sigam Jesus. Rezemos juntos:

T. Fazei-nos em Cristo novas criaturas.

1. Pai Santo, favorecei na Igreja um novo ardor missionário que provoque uma evangelização corajosa e eficaz.

2. Impulsionai todas as Dioceses do Brasil a anunciarem o Evangelho com a ousadia dos apóstolos.

3. Fazei da CNBB uma Conferência Episcopal sempre mais apostólica e missionária.

4. Transformai a nossa Igreja de São Paulo num exemplo de evangelização e missão.

5. Abri os nossos corações para a celebração do Natal com o júbilo pascal dos primeiros cristãos.

6. Que a Evangelização promova a vida para todos os excluídos.

7. Que a participação nas coletas de hoje seja nossa contribuição para a Evangelização da Igreja.

(outras preces da comunidade)

P. Na certeza de que Deus Pai atenderá nossas preces, voltemos nosso olhar a Jesus, cujo advento estamos celebrando, e rezemos juntos a oração da Campanha para a Evangelização 2010: Senhor Jesus Cristo, / que viestes até nós / para levar à plenitude a obra da criação, / concedei à vossa Igreja a graça de contribuir / para que todas as pessoas/ vivam de acordo com os valores do Evangelho / e participem da vossa missão. / Vós que sois Deus com o Pai, / na unidade do Espírito Santo.

T. Amém.

12. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS (Fx10)

1. As nossas mãos se abrem, * mesmo na luta e na dor * e trazem pão e vinho, * para esperar o Senhor.

Deus ama os pobres * e se faz pobre, também * desceu à terra * e fez pousada em Belém.

2. As nossas mãos se elevam, * para num gesto de amor, retribuir a vida, * que vem das mãos do Senhor.

3. As nossas mãos se encontram * na mais fraterna união. * Fa ça mos deste mundo, * a grande “Casa do Pão”!

4. As nossas mãos sofridas, * nem sempre têm o que dar, * mas vale a própria vida * de quem prossegue a lutar.

13. ORAÇÃO

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

SOBRE AS OFERENDAS

P. Possamos, ó Pai, oferecer-vos sem cessar estes dons da nossa devoção, para que, ao celebramos o sacramento que nos destes, se realizem em nós as maravilhas da salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III

(Pref. Adv I, MR, p. 406)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós!

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus!

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação!

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Revestido da nossa fragilidade, ele veio a primeira vez para realizar seu eterno plano de amor a abrir-nos o caminho da salvação. Revestido de sua glória, ele virá uma segunda vez para conceder-nos em plenitude os bens prometidos que hoje, vigilantes, esperamos. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos aos anjos e a todos os santos, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr-do-sol, um sacrifício perfeito.

T. Santificai e reuni o vosso povo!

CC. Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e V o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, São Paulo, patrono da nossa Arqui diocese, N. e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença.

T. Fazei de nós uma perfeita oferenda!

2C. E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o Papa Bento, o nosso bispo Odilo, com os Bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.

T. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!

Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso.

T. A todos saciai com vossa glória!

Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça.

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

15. PAI NOSSO

P. Obedientes à palavra do Salvador e formados por seu divino ensinamento, ousamos dizer:

T. Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

P. Livrai-nos de todos os males…

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

P. Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade. Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo.

T. Amém.

P. A paz do Senhor esteja sempre convosco.

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus …

P. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

16. CANTO DE COMUNHÃO Sl. 147 (Fx 8)

Dizei, gritai * aos corações desanimados: * não tenham medo! * Criem coragem, que Deus já vem! * Deus de vocês, * Ele vem vindo para julgar, * divino prêmio consigo traz, * vem libertar.

1- Louva, Jerusalém, * louva o Senhor teu Deus: * tuas portas reforçou * e os teus abençoou.* Te cumulou de paz * e o pão do céu te traz.

2- Sua Palavra envia, * corre veloz sua voz.* Da névoa desce o véu,* unindo a terra e o céu; * as nuvens se desmancham, * o vento sopra e avança.

3- Ao povo revelou * palavras de amor. * A sua lei nos deu * e o mandamento seu;* com ninguém fez assim, * amou até o fim.

4- A virgem, mãe será, * um Filho à luz dará, * seu nome, Emanuel: * “Conosco Deus” do céu; * o mal desprezará, * o bem escolherá.

5- Ao Pai do céu louvemos * e ao que vem, cantemos; * e ao Divino, então, * a nossa louvação! * Os três, que são um Deus, * exalte o povo seu!

17. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Imploramos, ó Pai, vossa clemência para que estes sacramentos nos purifiquem dos pecados e nos preparem para as festas que se aproximam. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

18. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

19. BÊNÇÃO E DESPEDIDA

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Que o Deus onipotente e misericordioso vos ilumine com o advento do seu Filho, em cuja volta esperais, e derrame sobre vós as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Que durante esta vida ele vos torne firmes na fé, alegres na esperança, e solícitos na caridade.

T. Amém.

P. Alegrando-vos agora pela vinda do Salvador feito homem, sejais recompensados com a vida eterna.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-podero -so, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

20. CANTO FINAL (H1 P. S 36) -CO I)

1. Senhor, vem salvar teu povo * das trevas, da escravidão! * Só tu és nossa esperança, * és nossa libertação!

Vem, Senhor, * vem nos sal-var! * Com teu Povo * vem caminhar!

2. Contigo o deserto é fértil, * a terra se abre em flor, * da rocha brota água viva, * da treva nasce esplendor.

3. Tu marchas à nossa frente, * és força, caminho e luz. * Vem logo salvar teu povo. * Não tardes, Senhor Jesus!

Músicas CD Lit IV Advento Ed. Paulus – CO Ed. Vozes

A Igreja de São Paulo agradece por sua participação na campanha para a Evangelização.

Sua oferta é uma contribuição importante para que todas as pessoas conheçam o Evangelho e se engajem na Missão.

Encerra-se a Campanha para a Evangelização 2010:

tema: Encarnação e nova criação;

lema: Em Cristo, somos novas criaturas.

ORDENAÇÕES SACERDOTAIS

NO PRÓXIMO SÁBADO, DIA 18, ÀS 15 HORAS, NA CATEDRAL, TODOS ESTÃO CONVIDADOS.

LEITURAS DA SEMANA: de 13 a 19 de Dezembro de 2010

l2ª– Nm 24,2-7.15-17a; Sl 24(25),4bc-5ab.6-7bc.8-9 (R/. 4b); Mt 21,23-27

l3ª. Sf 3,1-2.9-13; Sl 33(34),2-3.6-7.17-18.19 e 23 (R/. 7a); Mt 21,28-32

l4ª Is 45,6b-8.18.21b-25; Sl 84(85),9ab-10.11-12.13-14 (R/. cf. Is 45,8); Lc 7,19-23

l5ª Is 54, 1-10; Sl 29 (30), 2 e 4. 5-6. 11. 12a e 13b (R/. 2a) ; Lc 7, 24-30

l6ª Gn 49, 2. 8-10; Sl 71 (72), 2. 3-4ab. 7-8. 17 (R/. cf. 7) ; Mt 1, 1-17

lSáb.Jr 23, 5-8; Sl 71 (70), 2. 12-13. 18-19 (R/. cf. 7); Mt 1, 18-24

l4ªDOMINGO DO ADVENTO Is 7, 10-14; Sl 23 (24), 1-2. 3-4ab. 5-6 (R/. 7c. 10b); Rm 1, 1-7;Mt 1, 18-24 (Origem de Jesus Cristo)

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_Natal_advento03.htm


• SÃO PAULO • 5 DE DEZEMBRO DE 2010 • ANO 35 • LT. 8 • Nº 02 • A •

outubro 4, 2010

2º DOMINGO DO ADVENTO

Anim. No segundo Domingo do Advento, somos convidados a continuar a aprofundar a nossa espiritualidade por meio da vigilância e da oração. Segundo a Campanha para a Evangelização, a encarnação do Verbo transforma-nos em novas criaturas. Mas, para isso, é necessário que mergulhemos sem temor na fé e abramos o coração ao Cristo que vem. Dessa forma, poderemos celebrar o Natal com o encanto que se apossou dos pastores de Belém e habitou perenemente o coração da Virgem Maria.

1. ABERTURA Sl 79(80) Fx6

Eis que de longe vem o Senhor, * para as nações do mundo julgar. * E os corações alegres ‘starão, * como numa noite em festa a cantar.

1. Do Egito uma vinha * arrancaste com amor, * com cuidado a replantaste, * fundas raízes lançou * e por sobre a terra toda * sua sombra se espalhou.

2. Mas, Senhor o que fizeste? * Por que teu amor se agasta? * Derrubaste as suas cercas, * todo mundo agora passa, * cada um invade e rouba, * quebra os ramos e devasta.

3. Senhor Deus, ouve, escuta: * do teu povo és o pastor. * Do teu trono de bondade * faze-nos ver o esplendor, * Teu poder desperta e vem, * vem salvar-nos, ó Senhor!

2. SAUDAÇÃO

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai.

(Silêncio)

1. Senhor, que vindes visitar vosso povo na paz, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

2. Cristo, que vindes salvar o que estava perdido, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

3. Senhor, que vindes criar um mundo novo, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Deus, Pai misericordioso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

4. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus todo-poderoso e cheio de misericórdia, nós vos pedimos que nenhuma atividade terrena nos impeça de correr ao encontro do vosso Filho, mas, instruídos pela vossa sabedoria, participemos da plenitude de sua vida. Por N.S.J.C.

T. Amém.

5. PRIMEIRA LEITURA (Is 11,1-10)

Anim. Ouçamos a Palavra divina, para que seus apelos proféticos, realizados no tempo sagrado do Advento, abram em nossos cora ções um caminho de conversão e libertação do pecado.

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

Naqueles dias,

1nascerá uma haste do tronco de Jessé

e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor;

2sobre ele repousará o espírito do Senhor:

espírito de sabedoria e discernimento,

espírito de conselho e fortaleza,

espírito de ciência e temor de Deus;

3no temor do Senhor encontra ele seu prazer.

Ele não julgará pelas aparências que vê

nem decidirá somente por ouvir dizer;

4mas trará justiça para os humildes

e uma ordem justa para os homens pacíficos;

fustigará a terra com a força da sua palavra

e destruirá o mau com o sopro dos lábios.

5Cingirá a cintura com a correia da justiça

e as costas com a faixa da fidelidade.

6O lobo e o cordeiro viverão juntos

e o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito;

o bezerro e o leão comerão juntos

e até mesmo uma criança poderá tangê-los.

6 vaca e o urso pastarão lado a lado,

enquanto suas crias descansam juntas;

o leão comerá palha como o boi;

7a criança de peito vai brincar

em cima do buraco da cobra venenosa;

e o menino desmamado

não temerá pôr a mão na toca da serpente.

9ão haverá danos nem mortes

por todo o meu santo monte:

a terra estará tão repleta do saber do Senhor

quanto as águas que cobrem o mar.

10Naquele dia, a raiz de Jessé

se erguerá como um sinal entre os povos;

hão de buscá-la as nações, e gloriosa será a sua morada.

Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

6. SALMO RESPONSORIAL 71(72) (Fx 7)

Eis que vem o Senhor Soberano, * tendo em suas mãos poder e glória!

1. Dai ao rei vossos poderes, Senhor Deus, * vossa justiça ao descendente da realeza! * Com justiça ele governe o vosso povo, * com equidade ele julgue os vossos pobres.

2. Os reis de toda a terra hão de adorá-lo, * e todas as nações hão de servi-lo. * Libertará o indigente que suplica, * e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.

3. Todos os povos serão nele abençoados, * todas as gentes cantarão o seu louvor!

7. SEGUNDA LEITURA (Rm 15,4-9)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.

Irmãos,

4tudo o que outrora foi escrito,

foi escrito para nossa instrução,

para que, pela nossa constância

e pelo conforto espiritual das Escrituras,

tenhamos firme esperança.

5O Deus que dá constância e conforto

vos dê a graça da harmonia e concórdia,

uns com os outros, como ensina Cristo Jesus.

6Assim, tendo como que um só coração e a uma só voz,

glorificareis o Deus

e Pai do Senhor nosso, Jesus Cristo.

7Por isso, acolhei-vos uns aos outros,

como também Cristo vos acolheu, para a glória de Deus.

8Pois eu digo:

Cristo tornou-se servo dos que praticam a circuncisão,

para honrar a veracidade de Deus,

confirmando as promessas feitas aos pais.

9Quanto aos pagãos,

eles glorificam a Deus, em razão da sua misericórdia,

como está escrito:

“Por isso, eu vos glorificarei entre os pagãos

e cantarei louvores ao vosso nome”.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO(Fx3)

Aleluia, aleluia (bis)

Voz que clama no deserto (bis) * “Preparai-lhe um caminho. (bis) * Uma estrada ao Senhor!” (bis) * Aleluia, aleluia (bis)

9. EVANGELHO (Mt 3,1-12)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós!

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. 1Naqueles dias, apareceu João Batista,

pregando no deserto da Judéia:

2“Convertei-vos, porque o Reino dos céus está próximo”.

3João foi anunciado pelo profeta Isaías, que disse:

“Esta é a voz daquele que grita no deserto:

preparai o caminho do Senhor,

endireitai suas veredas!”

4João usava uma roupa feita de pêlos de camelo

e um cinturão de couro em torno dos rins;

comia gafanhotos e mel do campo.

5Os moradores de Jerusalém, de toda a Judéia

e de todos os lugares em volta do rio Jordão

vinham ao encontro de João.

6Confessavam os seus pecados

e João os batizava no rio Jordão.

7Quando viu muitos fariseus e saduceus

vindo para o batismo, João disse-lhes:

“Raça de cobras venenosas, quem vos ensinou

a fugir da ira que vai chegar?

8Produzi frutos que provem a vossa conversão.

9Não penseis que basta dizer: ‘Abraão é nosso pai’,

porque eu vos digo: até mesmo destas pedras

Deus pode fazer nascer filhos de Abraão.

10O machado já está na raiz das árvores,

e toda árvore que não der bom fruto

será cortada e jogada no fogo.

11Eu vos batizo com água para a conversão,

mas aquele que vem depois de mim

é mais forte do que eu.

Eu nem sou digno de carregar suas sandálias.

Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.

12Ele está com a pá na mão;

ele vai limpar sua eira

e recolher seu trigo no celeiro;

mas a palha ele a queimará

no fogo que não se apaga”.

– Palavra da salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

10. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra, / e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; / ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna. Amém.

11. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Neste tempo sagrado do Advento, deixemos que os apelos do Evangelho promovam uma forte campanha para uma evangelização que transforme a nossa realidade no Reino de Deus. Rezemos juntos:

T. Senhor, convertei-nos para crer no Evangelho!

1. Deus, nosso Pai, iluminai a nossa Igreja na missão de anunciar Jesus Cristo a todos os povos.

2. Iluminai os governantes para que desempenhem seu compromisso em favor da justiça e da paz.

3. Fortalecei os braços cansados e os corações abatidos para a luta em favor do bem.

4. Preparai-nos para celebrar a encarnação de Jesus com o coração aberto aos apelos da evangelização.

(outras preces da comunidade)

P. Na certeza de que Deus Pai atenderá nossas preces, voltemos nosso olhar a Jesus, cujo advento estamos celebrando, e rezemos juntos a oração da Campanha para a Evangelização 2010: Senhor Jesus Cristo, / que viestes até nós / para levar à plenitude a obra da criação, / concedei à vossa Igreja a graça de contribuir / para que todas as pessoas/ vivam de acordo com os valores do Evangelho / e participem da vossa missão. / Vós que sois Deus com o Pai, / na unidade do Espírito Santo.

T. Amém.

12. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS (Fx 4)

A nossa oferta apresentamos no altar * e te pedimos: Vem, Senhor, nos libertar.

1. A chuva molhou a terra, * o homem plantou o grão, * a planta deu flor e frutos, * do trigo, se fez o pão.

2. O homem plantou videiras, * cercou-as com seu carinho. * Da vinha brotou a uva, * da uva, se fez o vinho.

3. Os frutos de nossa terra * e as lutas dos filhos teus, * serão, pela tua graça, * Pão vivo, que vem dos céus.

4. Recebe, Pai, nossas vidas, * unidas ao pão e vinho * e vem conduzir teu povo, * guiando-o no teu caminho.

13. ORAÇÃO

P. Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso.

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

SOBRE AS OFERENDAS

P. Acolhei, ó Deus, com bondade nossas humildes preces e oferendas, e, como não podemos invocar os nossos méritos, venha em nosso socorro a vossa misericórdia. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II

(Pref. Adv I, MR, p.406)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós!

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus!

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação!

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Revestido da nossa fragilidade, ele veio a primeira vez para realizar seu eterno plano de amor a abrir-nos o caminho da salvação. Revestido de sua glória, ele virá uma segunda vez para conceder-nos em plenitude os bens prometidos que hoje, vigilantes, esperamos. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos aos anjos e a todos os santos, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade.

CC. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo V e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o Papa Bento, com o nosso bispo Odilo e todos os ministros do vosso povo.

T. Lembrai-vos, ó Pai da vossa Igreja!

2C. Lembrai-vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Enfim, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, vosso Filho.

T. Concedei-nos o convívio dos eleitos!

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

15. PAI NOSSO

P. Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor Jesus nos ensinou:

T. Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

P. Livrai-nos de todos os males, ó Pai, e dai-nos hoje a vossa paz. Ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e protegidos de todos os perigos, enquanto vivendo a esperança, aguardamos a vinda do Cristo Salvador.

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

P. Senhor Jesus Cristo, dissestes aos vossos Apóstolos: Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima a vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade. Vós que sois Deus, com o Pai e o Espírito Santo.

T. Amém.

P. A paz do Senhor esteja sempre convosco.

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Como filhos e filhas do Deus da paz, saudai-vos com um gesto de comunhão fraterna.

T. Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

P. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

16. CANTO DE COMUNHÃO Sl 147( Fx 8)

Ouço uma voz lá no deserto a gritar: * “Uma estrada preparai para o Senhor! * Endireitai os seus caminhos, pois, Ele vem” * e logo mais avistareis o Salvador!

1- Louva, Jerusalém, * louva o Senhor teu Deus: * tuas portas reforçou * e os teus abençoou.* Te cumulou de paz * e o pão do céu te traz.

2- Sua Palavra envia, * corre veloz sua voz.* Da névoa desce o véu,* unindo a terra e o céu; * as nuvens se desmancham, * o vento sopra e avança.

3- Ao povo revelou * palavras de amor. * A sua lei nos deu * e o mandamento seu;* com ninguém fez assim, * amou até o fim.

4- A virgem, mãe será, * um Filho à luz dará, * seu nome, Emanuel: * “Conosco Deus” do céu; * o mal desprezará, * o bem escolherá.

5- Ao Pai do céu louvemos * e ao que vem, cantemos; * e ao Divino, então, * a nossa louvação! * Os três, que são um Deus, * exalte o povo seu!

17. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Alimentados pelo pão espiritual, nós vos suplica-mos, ó Deus, que, pela participação nesta Eucaristia, nos ensineis a julgar com sabedoria os valores terrenos e colocar nossas esperanças nos bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

18. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

19. BÊNÇÃO E DESPEDIDA

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Que o Deus onipotente e misericordioso vos ilumine com o advento do seu Filho, em cuja volta esperais, e derrame sobre vós as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Que durante esta vida, ele vos torne firmes na fé, alegres na esperança, e solícitos na caridade.

T. Amém.

P. Alegrando-vos agora pela vinda do Salvador feito homem, sejais recompensados com a vida eterna.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

20. CANTO FINAL (HL 1 p. 88)

Vem, vem Senhor Jesus, vem, * vem, bem-amado Senhor! (bis)

1. Vem nos libertar, * vem nos salvar, * a injustiça é grande, * o inimigo é forte, * vem, vencedor da morte!

2. Corre, bem depressa, * vem nos ajudar. * O dia passou, * a noite escurece, * fica sempre com a gente.

CANTOS: LITURGIA IV – ADVENTO Ed. Paulus

CAMPANHA PARA A EVANGELIZAÇÃO:

Tema: Encarnação e nova criação;

Lema: Em Cristo, somos novas criaturas.

NO PRÓXIMO DOMINGO,

AS COLETAS SERÃO PARA SUSTENTAÇÃO DA EVANGELIZAÇÃO.

FAÇA DA SUA OFERTA UMA CONTRIBUIÇÃO PARA QUE TODAS AS PESSOAS CONHEÇAM O EVANGELHO E SE ENGAJEM NA MISSÃO.

LEITURAS DA SEMANA: de 6 a 12 de Dezembro de 2010

l2ª- Is 35, 1-10; Sl 84 (85), 9ab-10. 11-12. 13-14 (R/. Is 35, 4d); Lc 5, 17-26

l3ª- Is 40, 1-11; Sl 95 (96), 1-2. 3 e 10ac. 11-12. 13 (R/. cf. Is 40, 9-10); Mt 18, 12-14

l4ª- Gn 3, 9-15.20; Sl 97 (98), 1. 2-3ab. 3bc-4 (R/. 1a); Ef 1, 3-6.11-12; Lc 1, 26-38

l5ª- Is 41, 13-20; Sl 144 (145), 1 e 9. 10-11. 12-13ab (R/. 8); Mt 11, 11-15

l6ª- Is 48, 17-19; Sl 1, 1-2. 3. 4 e 6 (R/. cf. Jo 8, 12); Mt 11, 16-19

lSáb.- Eclo 48, 1-4. 9-11; Sl 79 (80), 2ac e 3b. 15-16. 18-19 (R/. 4); Mt 17, 10-13

l3ª-DOMINGO DO ADVENTO. Is 35, 1-6a. 10; Sl 145 (146), 7. 8-9a. 9bc-10 (R/. cf. Is 35, 4); Tg 5, 7-10; Mt 11, 2-11

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_Natal_advento02.htm


• SÃO PAULO • 28 DE NOVEMBRO DE 2010 • ANO 35 • LT. 8 • Nº 01 • A •

outubro 4, 2010

1º DOMINGO DO ADVENTO

Anim. A Igreja inicia hoje o tempo litúrgico do Advento; tempo marcado pela espiritua lidade da vigilância e da oração. É preciso que os cristãos estejam preparados para a vinda do Senhor como também para enfrentar as turbulências da história. No Brasil, o Advento é marcado pela Campanha para a Evangelização, que tem como finalidade fortalecer a nossa Igreja. Com o tema: Encarnação e nova criação, e o lema: Em Cristo somos novas criaturas, a Igreja quer que seus filhos celebrem o Natal com o coração renovado e fortalecido pelo Mistério Pascal, de tal forma que estejam comprometidos com a Evangelização da cidade e do mundo.

1. ABERTURA (Fx1)

Ouve-se na terra um grito, * do povo um grande clamor: * “Senhor, abre os céus, * que as nuvens chovam o Salvador”.

1. É um só canto de amor e esperança * que a terra mãe, germinando, contém: * a ti Senhor nós clamamos: * Vem, Senhor Jesus, vem!

2. Mesmo que as guerras destruam a terra * pondo em perigo a paz e o bem, * que a nossa voz não se canse: * vem, Senhor Jesus, vem!

3. Vem reunir hoje a tua Igreja, * a tua prece rezamos também. * O nosso amor sempre espere: * Vem, Senhor Jesus, vem!

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

3. ATO PENITENCIAL

P. De coração contrito e humilde aproximemo-nos do Deus justo e santo, para que tenha piedade de nós, pecadores.

(Silêncio)

P. Senhor, que viestes ao mundo para nos salvar, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, que continuamente nos visitais, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, que vireis um dia para julgar nossas obras, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

4. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus todo-poderoso, concedei a vossos fiéis o ardente desejo de possuir o reino celeste, para que, acorrendo com as nossas boas obras ao encontro do Cristo que vem, sejamos reunidos à sua direita na comunidade dos justos. Por N.S.J.C.

T. Amém.

Anim. Ouçamos com o coração de discípulos os apelos que as leituras de hoje nos fazem, para que o tempo sagrado do Advento nos ajude a ser missionários da Boa-Nova de Jesus.

5. PRIMEIRA LEITURA (Is 2,1-5)

Leitura do Livro do Profeta Isaías

1Visão de Isaías, filho de Amós,

sobre Judá e Jerusalém.

2aconte cerá, nos últimos tempos,

que o monte da casa do Senhor

estará firmemente estabelecido

no ponto mais alto das montanhas

e dominará as colinas.

A ele acorrerão todas as nações,

3para lá irão numerosos po vos e dirão:

“Vamos subir ao monte do Senhor,

à casa do Deus de Jacó,

para que ele nos mostre seus caminhos

e nos ensine a cumprir seus preceitos”;

porque de Sião provém a lei

e de Jerusalém, a palavra do Senhor.

4Ele há de julgar as nações

e arguir numerosos povos;

estes transformarão suas es padas em arados

e suas lanças em foices:

não pegarão em armas uns contra os outros

e não mais tra varão combate.

5vinde, todos da casa de Jacó,

e deixemo-nos guiar pela luz do Senhor.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

6. SALMO RESPONSORIAL 121(122)

(CD IV Fx2)

Que alegria quando ouvi que me disseram: * “Vamos à casa do Senhor”!

1. Que alegria quando ouvi que me disseram: * “Vamos à casa do Senhor!” * E agora nossos pés já se detêm, * Jerusalém, em tuas portas.

Que alegria quando ouvi que me disseram: * “Vamos à casa do Senhor”!

2. Para lá sobem as tribos de Israel, * as tribos do Senhor!” * A sede da justiça lá está * e o trono de Davi.

3. Rogai que viva em paz Jerusalém * e em segurança os que te amam! * Que a paz habite dentro de teus muros, * tranquilidade em teus palácios!

4. Por amor a meus irmãos e meus amigos, * peço: “A paz esteja em ti!” * Pelo amor que tenho à casa do Senhor, * eu te desejo todo bem!

7. SEGUNDA LEITURA (Rm 13,11-14)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos,

11vós sabeis em que tempo estamos,

pois já é hora de despertar.

Com efeito, agora a salvação está mais perto de nós

do que quando abraçamos a fé.

12A noite já vai adiantada,

o dia vem chegando:

despojemo-nos das ações das trevas

e vistamos as armas da luz.

13Procedamos honestamente, como em pleno dia:

nada de glutonerias e bebedeiras,

nem de orgias sexuais e imoralidades,

nem de brigas e rivalidades.

14Pelo contrário, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Fx3)

Aleluia, aleluia! (bis)

Vem, mostrar-nos ó Senhor. (bis) * Tua grande compaixão. (bis) * Dá-nos tua salvação! (bis) * Aleluia, aleluia! (bis)

9. EVANGELHO (Mt 24,37-44)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos:

37“A vinda do Filho do Homem será como no tempo de Noé.

38Pois nos dias antes do dilúvio, todos comiam e bebiam,

casavam-se e davam-se em casamento,

até o dia em que Noé entrou na arca.

39E eles nada perceberam

até que veio o dilúvio e arrastou a todos.

Assim acontecerá também na vinda do Filho do Homem.

40Dois homens estarão trabalhando no campo:

um será levado e o outro será deixado.

41Duas mulheres estarão moendo no moinho:

uma será levada e a outra será deixada.

42Portanto, ficai atentos,

porque não sabeis em que dia virá o Senhor.

43Compreendei bem isso: se o dono da casa

soubesse a que horas viria o ladrão,

certamente vigiaria e não deixaria

que a sua casa fosse arrombada.

44Por isso, também vós ficai preparados!

Porque na hora em que menos pensais,

o Filho do Homem virá”.

– Palavra da salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

10. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra, / e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; / ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna. Amém.

11. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, no início do Advento, elevemos nossas preces a Deus Pai, cujo amor é tão grande que enviou o seu Filho para nos salvar. Rezemos confiantes:

T. Convertei os corações ao Cristo que vem!

1. Pai Santo, neste tempo sagrado, renovai na Igreja o amor por Jesus e o encanto da fé.

2. Inspirai aos líderes mundiais a justiça que gera a paz.

3. Ajudai-nos a tocar com as Palavras de Jesus os corações endurecidos pelo pecado.

4. Dai-nos forças para fazer da Campanha para a Evangelização um instrumento de renovação espiritual.

5. Fortalecei nossa Arquidiocese em suas pastorais e obras sociais.

6. Alimentai com a vossa presença e nossa atuação o compromisso com a justiça e a fraternidade.

(outras intenções da comunidade)

P. Na certeza de que Deus Pai atenderá nossas preces, voltemos nosso olhar a Jesus, cujo advento estamos celebrando, e rezemos juntos a oração da Campanha para a Evangelização 2010: Senhor Jesus Cristo, / que viestes até nós / para levar à plenitude a obra da criação, / concedei à vossa Igreja a graça de contribuir / para que todas as pessoas/ vivam de acordo com os valores do Evangelho / e participem da vossa missão. / Vós que sois Deus com o Pai, / na unidade do Espírito Santo.

T. Amém.

12. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS (Fx 4)

A nossa oferta apresentamos no altar * e te pedimos: Vem, Senhor, nos libertar.

1. A chuva molhou a terra, * o homem plantou o grão, * a planta deu flor e frutos, * do trigo, se fez o pão.

2. O homem plantou videiras, * cercou-as com seu carinho. * Da vinha brotou a uva, * da uva, se fez o vinho.

3. Os frutos de nossa terra * e as lutas dos filhos teus, * serão, pela tua graça, * pão vivo, que vem dos céus.

4. Recebe, Pai, nossas vidas, * unidas ao pão e vinho * e vem conduzir teu povo, * guiando-o no teu caminho.

13. ORAÇÃO

P. Orai, irmãos e irmãs, para que o nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso.

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

SOBRE AS OFERENDAS

P. Recebei, ó Deus, estas oferendas que escolhemos entre os dons que nos destes, e o alimento que hoje concedeis à nossa devoção torne-se prêmio da redenção eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA II

(Pref. Adv. 1, MR, p. 406)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós!

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus!

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação!

P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre em todo lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Revestido da nossa fragilidade, ele veio a primeira vez para realizar seu eterno plano de amor e abrir-nos o caminho da salvação. Revestido de sua glória, ele virá uma segunda vez para conceder-nos em plenitude os bens prometidos que hoje, vigilantes, esperamos. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos aos anjos e a todos os santos, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade.

CC. Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito, a fim de que se tornem para nós o Corpo V e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão, ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o Papa Bento, com o nosso bispo Odilo e todos os ministros do vosso povo.

T. Lembrai-vos, ó Pai da vossa Igreja!

2C. Lembrai-vos também dos nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Enfim, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos por Jesus Cristo, vosso Filho.

T. Concedei-nos o convívio dos eleitos!

CP ou CC. Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

15. PAI NOSSO

P. Obedientes à palavra do Salvador e formados por seu divino ensinamento, ousamos dizer:

T. Pai nosso …

16. CANTO DE COMUNHÃO Sl. 85(84) (Fx5)

Vigiai, vigiai eu vos digo, * não sabeis qual o dia, ou a hora. * Vigiai, vigiai, eu repito, * eis que vem o Senhor em sua glória!

1. Foste amigo, antigamente, * desta terra que amaste, * desde povo que escolheste; * sua sorte me lhoraste, * perdoaste seus pecados, * tua raiva acalmaste.

2. Vem, de novo, restaurar-nos! * Sempre irado estarás, * Indignado contra nós? * E a vida não darás? * Salvação e alegria, * outra vez, não nos trarás?

3. Escutemos suas palavras, * é de paz que vai falar; * paz ao povo, a seus fiéis, * a quem dele se achegar. * Está perto a salvação * e a glória vai voltar.

4. Eis: Amor, Fidelidade * vão unidos se encontrar, * bem assim, Justiça e Paz * vão beijar-se e se abraçar. * Vai brotar Fidelidade * e Justiça se mostrar.

17. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Aproveite-nos, ó Deus, a participação nos vossos mistérios. Fazei que eles nos ajudem a amar desde agora o que é do céu e, caminhando entre as coisas que passam, abraçar as que não passam. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

18. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

19. BÊNÇÃO E DESPEDIDA

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós!

P. Que o Deus onipotente e misericordioso vos ilumine com o advento do seu Filho, em cuja vinda credes, e cuja volta esperais e derrame sobre vós as suas bênçãos.

T. Amém.

P. Que durante esta vida ele vos torne firmes na fé, alegres na esperança, solícitos na caridade.

T. Amém.

P. Alegrando-vos agora pela vinda do Salvador feito homem, sejais recompensados com a vida eterna, quando ele vier de novo em sua glória.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e V Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

20. CANTO FINAL (HL 1 Sl 36 -CO 1)

1. Senhor, vem salvar, teu povo * das trevas da escravidão! * Só tu és nossa esperança, * és nossa libertação.

Vem, Senhor, vem nos salvar! * Com teu povo, vem caminhar!

2. Contigo o deserto é fértil, * a terra se abre em flor. * Da rocha brota água viva, * da treva nasce o esplendor.

3. Tu marchas à nossa frente, * és força, caminho e luz. * Vem logo salvar teu povo, * não terdes, Senhor Jesus.

Músicas: CD Ed. Paulus Liturgia XII

A Faculdade de Teologia N. Sra. Assunção, PUC-SP, oferece mais uma oportunidade para os Leigos fazerem Teologia:

Um Curso à noite também no Campus Ipiranga.

site da PUC: http://www.vestibular.pucsp.br

CAMPANHA PARA A EVANGELIZAÇÃO 2010

Tema: Encarnação e nova criação.

Lema: Em Cristo, somos novas criaturas.

Início: Domingo de Cristo Rei – Encerramento: 3º Domingo do Advento, com as coletas em favor da Evangelização.

O PAPEL DO LEIGO

Findo o 1.º Congresso dos Leigos da Arquidiocese de São Paulo, surge a esperança de que houve avanços importantes. De fato, ao longo deste ano, muitos leigos se congregaram para discutir sua verdadeira missão enquanto discípulos de Jesus Cristo.

Leigo, como se sabe, é o católico comum ou corrente. É você que está lendo este artigo. Dê uma olhada no dicionário. Esta é a primeira acepção do aludido vocábulo. A Igreja católica é constituída por bispos, padres, diáconos, religiosos e leigos. Pode-se e deve-se contar com a ajuda do leigo na execução de tarefas intra-eclesiais, como, por exemplo, a catequese, a liturgia, os ministérios extraordinários etc. (cf. Lumen Gentium, n.º 33c). Entretanto, o papel preponderante do leigo consiste em animar e aperfeiçoar a sociedade com o espírito evangélico (cf. cânon 225, §2 do código canônico), dando testemunho de Cristo nas chamadas atividades seculares, como no trabalho, na família, na economia, na política (cf. Apostolicam Actuositatem, n.º 4e), enfim, em todas as relações sociais, como no trânsito de auto mó veis, por exemplo, tão repleto de infrações e animosidades, as quais suscitaram até uma exortação específica do Concílio Vaticano II (cf. Gaudium et Spes, n.º 30). Se o leigo não encontrar Jesus nessas situações do dia a dia, não o encontrará em lugar nenhum.

Os leigos que participam das pastorais paroquiais não são melhores do que os seus pares que, sem abraçar incumbências intra-eclesiais, “apenas” vão à missa dominical. Uns e outros têm de se nutrir com os sacramentos, sobretudo a eucaristia e a confissão, e, cotidianamente, devem procurar santificar o mundo, inspirados pelos valores do evangelho, a modo de fermento, de dentro da sociedade, no exercício de sua profissão, irradiando sua fé, esperança e caridade (cf. Lumen Gentium, n.º 31). Esta é a denominada “índole secular” do leigo (cf. Christifideles Laici, n.º 15), ou seja, sua vocação para estar no mundo, que é, também, sua imensa pastoral.

Gosto muito de uma expressão cunhada por são José Maria Escrivá. Disse o santo em uma de suas homilias que o leigo deve transformar a “prosa diária”, ou seja, a rotina, em “poema heróico”. Isto se coaduna com a seguinte recomendação de são Paulo: “Quer comais, quer bebais, fazei tudo para a glória de Deus.” (cf. 1Cor 10, 31). O mundo, ou a ordem temporal, com todas as suas alegrias e tristezas, é decerto um instrumento de Deus para que o leigo se santifique.

Edson Luiz Sampel

Membro da Sociedade Brasileira de Canonistas (SBC)

LEITURAS DA SEMANA: de 29 de Novembro a 5 de Dezembro de 2010

l2ª- Is 4, 2-6; Sl 121 (122), 1-2. 3-4a. 4b-5. 6-7. 8-9 (R/. 1); Mt 8, 5-11

l3ª- Rm 10, 9-18; Sl 18 (19), 2-3. 4-5 (R/. 5a); Mt 4, 18-22

l4ª- Is 25, 6-10a; Sl 22 (23), 1-3a. 3b-4. 5. 6 (R/. 6cd); Mt 15, 29-37

l5ª-Is 26, 1-6; Sl 117 (118), 1 e 8-9. 19-21. 25-27a (R/. 26a); Mt 7, 21.24-27

l6ª- Is 29, 17-24; Sl 26 (27), 1. 4. 13-14 (R/. 1a); Mt 9, 27-31

lSáb- Is 30,19-21.23-26; Sl 146(147),1-2.3-4.5-6 (R/. Is 30,18); Mt 9,35-10,1.6-8

l2º DOMINGO DO ADVENTO.Is 11, 1-10; Sl 71 (72), 1-2. 7-8. 12-13. 17 (R/. cf. 7); Rm 15, 4-9; Mt 3, 1-12 (Mensagem de João Batista)

Retirado: http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_Natal_advento01.htm