• SÃO PAULO • 8 DE MAIO DE 2011 • ANO 35 • Lt. 04 • Nº 32 •A

3º DOMINGO DA PÁSCOA

Anim. No terceiro Domingo da Páscoa, a Igreja se reúne para celebrar a ressurreição de Jesus e fazer sua profissão de fé no mistério pascal. É na fração do Pão eucarístico  e na Palavra celebrada, que a presença de Cristo se expande no coração do mundo. Imbuídos de alegria pascal, vivamos este momento tão saboroso da fé como viveram os discípulos naqueles encontros pós-pascais nos quais o Senhor, de uma forma muito carinhosa, com eles se encontrou.

1. ABERTURA (- Fx 1)

Antífona: Na verdade, o Cristo ressuscitou, aleluia!

Refrão: A Ele o poder e a glória pelos séculos eternos!

1. Senhor, vós me sondais e conheceis, * sabeis quando me sento ou me levanto.

2. Percebeis quando me deito e quando eu ando, * os meus caminhos vos são todos conhecidos.

3. Por detrás e pela frente me envolveis, * pusestes sobre mim a vossa mão.

4. Esta verdade é por demais maravilhosa, * é tão sublime que não posso compreendê-la.

 

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. A graça e a paz de Deus, nosso Pai, e de Jesus Cristo, nosso Senhor, estejam convosco!

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

3. ATO PENITENCIAL (com aspersão)

(MR p. 1001)

P. Irmãos e irmãs em Cristo, invoquemos o Senhor nosso Deus para que se digne abençoar esta água que vai ser aspergida sobre nós, recordando o nosso batismo. Que ele se digne ajudar-nos para permanecermos fiéis ao Espírito que recebemos.

(Silêncio)

P. Senhor nosso Deus, velai sobre o vosso povo e, ao celebrarmos as maravilhas da nossa criação e a maravilha ainda maior de nossa redenção, dignai-vos abençoai V  esta água. Fostes vós que a criastes para fecundar a terra, para lavar nossos corpos e refazer nossas forças. Também a fizestes instrumento da vossa misericórdia: por ela libertastes o vosso povo do cativeiro e aplacastes no deserto a sua sede; por ela os profetas anunciaram a nova aliança que era vosso desejo concluir com os seres humanos; por ela finalmente, consagrada pelo Cristo no Jordão, renovastes, pelo banho do novo nascimento, a nossa natureza pecadora. Que esta água seja para nós uma recordação do nosso batismo e nos faça participar da alegria dos que foram batizados na Páscoa. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

Canto de Aspersão (Fx 3)

1. Eu vi, eu vi, vi foi água a manar, do lado direito do templo a jorrar.

Amém, amém, amém, aleluia!

Amém, amém, amém, aleluia!

2. E quantos foram por ela banhados, cantaram o canto dos que foram salvos:

3. Louvai, louvai e cantai ao Senhor, porque ele é bom e sem fim, seu amor:

4. Ao Pai a glória e ao Ressuscitado e seja o Divino pra sempre louvado!

P. Que Deus todo-poderoso nos purifique dos nossos pecados e, pela celebração desta Eucaristia, nos torne dignos da mesa do seu reino.

T. Amém.

4. GLÓRIA

(Preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas,

T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

 

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que o vosso povo sempre exulte pela sua renovação espiritual, para que, tendo recuperado agora com alegria a condição de filhos de Deus, espere com plena confiança o dia da ressurreição. Por N.S.J.C.

T. Amém.

Anim. Neste terceiro Domingo da Páscoa, participemos da liturgia da Palavra, para que nos encontremos  com Cristo ressus­citado como os discípulos que se alegram por verem o Senhor.

6. PRIMEIRA LEITURA

(At 2,14.22-33)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

No dia de Pentecostes, 14Pedro, de pé, junto com os onze apóstolos, levantou a voz e falou à multidão: 22″Homens de Israel, escutai estas palavras: Jesus de Nazaré foi um homem aprovado por Deus, junto de vós, pelos milagres, prodígios e sinais que Deus realizou, por meio dele, entre vós. Tudo isto vós bem o sabeis. 23Deus, em seu desígnio e previsão, determinou que Jesus fosse entregue pelas mãos dos ímpios, e vós o matastes, pregando-o numa cruz. 24Mas Deus ressus­citou a Jesus, libertando-o das angústias da morte, porque não era possível que ela o dominasse. 25Pois Davi dele diz: ‘Eu via sempre o Senhor diante de mim, pois está à minha direita para eu não vacilar. 26Alegrou-se por isso meu coração e exultou minha língua e até minha carne repousará na esperança. 27Porque não deixarás minha alma na região dos mortos nem permi­tirás que teu santo ex­pe­ri­mente corrupção. 28Deste-me a conhecer os caminhos da vida e a tua pre­sença me encherá de alegria’. 29Irmãos, seja-me permitido dizer com franqueza que o patriarca Davi morreu e foi sepultado e seu sepulcro está entre nós até hoje. 30Mas, sendo profeta, sabia que Deus lhe jurara solenemente que um de seus descendentes ocuparia o trono. 31É, portanto, a ressurreição de Cristo que previu e anunciou com as palavras: Ele não foi abandonado na região dos mortos e sua carne não conheceu a corrupção. 32Com efeito, Deus ressuscitou este mesmo Jesus e disto todos nós somos testemunhas. 33E agora, exaltado pela direita de Deus, Jesus recebeu o Espírito Santo que fora prometido pelo Pai, e o derramou, como estais vendo e ouvindo”. – Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

7. SALMO RESPONSORIAL 15(16) (Fx 2)

Vós me ensinais vosso caminho para a vida; * junto a vós, felicidades sem limites!

1. Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor: * Nenhum bem eu posso achar fora de vós!” * Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, * meu destino está seguro em vossas mãos!

2. Eu bendigo ao Senhor que me aconselha, * e até de noite me adverte o coração. * Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, * pois se o tenho a meu lado, não vacilo.

3. Eis porque meu coração está em festa * e minh’alma rejubila de alegria; * pois não haveis de me deixar entregue à morte * nem vosso amigo conhecer a corrupção.

4. Vós me ensinais vosso caminho para a vida; * junto de vós, felicidades sem limites; * delícia eterna e alegria ao vosso lado: * Minha alma rejubila de alegria.

 

8. SEGUNDA LEITURA (1Pd 1,17-21)

Leitura da primeira Carta de São Pedro

Caríssimos: 17Se invocais como Pai aquele que sem discriminação julga a cada um de acordo com as suas obras, vivei então respeitando a Deus durante o tempo de vossa migração neste mundo. 18Sabeis que fostes resgatados da vida fútil herdada de vossos pais, não por meio de coisas perecíveis, como a prata ou o ouro, 19mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha nem defeito. 20Antes da criação do mundo, ele foi destinado para isso, e neste final dos tempos, ele apareceu, por amor de vós. 21Por ele é que alcançastes a fé em Deus. Deus o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, e assim, a vossa fé e esperança estão em Deus. – Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Fx 3)

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! * Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!

Revelai-nos o sentido da Escritura; * fazei o nosso coração arder, quando falardes.

 

10. EVANGELHO (Lc 24,13-35)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

P. 13Naquele mesmo dia, o primeiro da semana, dois dos discípulos de Jesus iam para um povoado, chamado Emaús, distante onze quilômetros de Jerusalém. 14Con­versavam sobre todas as coisas que tinham acontecido. 15Enquanto con­versavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles. 16Os discípulos, porém, estavam como que cegos, e não o reconheceram. 17Então Je­sus perguntou: “Que ides conver­sando pelo caminho?” Eles para­ram, com o rosto triste, 18e um deles, cha­mado Cléofas, lhe disse: “Tu és o único peregrino em Jerusalém que não sabe o que lá aconteceu nes­­­tes últimos dias?” 19Ele per­guntou: “O que foi?” Os discípulos responderam: “O que aconteceu com Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e pala­vras, diante de Deus e diante de todo o povo. 20Nossos sumos sa­cerdotes e nossos chefes o entre­garam para ser condenado à morte e o crucificaram. 21Nós esperáva­mos que ele fosse libertar Israel, mas, apesar de tudo isso, já faz três dias que todas essas coisas aconteceram! 22É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deram um susto. Elas foram de madrugada ao túmulo 23e não encontraram o corpo dele. Então voltaram, dizendo que tinham visto an­jos e que estes afirmaram que Jesus está vivo. 24Alguns dos nos­sos foram ao túmulo e encontraram as coisas como as mulheres tinham dito. A ele, porém, ninguém o viu”. 25Então Jesus lhes disse: “Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram! 26Será que o Cristo não devia sofrer tudo isso para entrar na sua glória?” 27E, começando por Moisés e pas­sando pelos Profetas, explicava aos discípulos todas as passagens da Es­cri­tura que falavam a respeito dele. 28Quando chegaram perto do po­voado para onde iam, Jesus fez de conta que ia mais adiante. 29Eles, po­rém, insistiram com Jesus, dizendo: “Fica conosco, pois já é tar­de e a noite vem chegando!” Jesus en­trou para ficar com eles. 30Quan­do se sentou à mesa com eles, to­mou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía. 31Nisso os olhos dos dis­cípulos se abriram e eles reco­nheceram Jesus. Jesus, porém, de­sa­pareceu da frente deles. 32Então um disse ao outro: “Não estava ar­dendo o nosso coração quando ele nos falava pelo caminho, e nos ex­pli­cava as Escrituras?” 33Naquela mes­ma hora, eles se levantaram e voltaram para Jerusalém onde encontraram os Onze reunidos com os outros. 34E estes confirmaram: “Real­mente, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!” 35Então os dois contaram o que tinha acon­te­cido no caminho, e como tinham re­co­nhecido Jesus ao partir o pão.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

 

11. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso,…

 

12. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, iluminados pela presença de Cristo ressuscitado, que tocou os nossos corações por meio da Palavra proclamada, preparemo-nos para encontrá-lo na fração do Pão, suplicando com os discípulos de Emaús:

T. Ficai conosco, Senhor.

1. Quando nos sentimos fragilizados pela escuridão do mundo:

2. Quando nos sentimos tentados pela ganância e pela idolatria do lucro:

3. Quando nos sentimos fracos diante da pressão avassaladora do egoísmo:

2. Quando nos deparamos com a dura realidade da desigualdade social:

3. Quando nos sentimos impotentes diante da destruição contínua do planeta:

4. Quando não conseguimos identificar vossa presença, e nossa fé parece insuficiente:

5. Quando, pela Palavra e pela fração do Pão, vos reconhecemos na Eucaristia:

(Outras preces da comunidade)

P. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

13. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS

(Fx4)

A terra, apavorada, emudeceu * quando Deus se levantou para julgar * e libertar os oprimidos desta terra.

1. Sede bendito, Senhor Deus de nossos pais. * A vós louvor, honra e glória eternamente! * Sede bendito, nome santo e glorioso. * A vós louvor, honra e glória eternamente!

2. No templo santo onde refulge a vossa glória. * A vós louvor, honra e glória eternamente! * E em vosso trono de poder vitorioso, * a vós louvor, honra e glória eternamente!

 

14. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor …

P. Acolhei, ó Deus, as oferendas da vossa Igreja em festa. Vós que sois a causa de tão grande júbilo, concedei-lhe também a eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

15. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III

(Prefácio.Pascal III p.423)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P.Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos gra­ças, sempre e em todo o lugar, mas sobretudo neste tempo solene em que Cristo, nossa Páscoa, foi imo­lado. Ele continua a oferecer-se pela humanidade, e junto de vós é nosso eterno intercessor. Imolado, já não morre; e, morto, vive eter­namente. Unidos à multidão dos anjos e dos santos, transbordando de alegria pascal, nós vos aclama­mos, cantando (dizendo) a uma só voz:

T. Santo, Santo, Santo…

CP. Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que crias­tes proclama o vosso louvor, por­que, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e san­tidade a todas as coisas e não ces­sais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr-do-sol, um sacrifício perfeito.

T. Santificai e reuni o vosso povo!

CC. Por isso, nós vos suplicamos: san­tificai pelo Espírito Santo as ofe­rendas que vos apresentamos para se­rem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo  e V o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Se­nhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério.

T. Santificai nossa oferenda, ó Senhor!

Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMIS­SÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Eis o mistério da fé!

T. Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

CC. Celebrando agora, ó Pai, a me­­­­­mó­ria do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa res­surreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua no­va vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito.

T. Fazei de nós um só corpo e um só espírito!

1C. Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, São Paulo, patrono da nossa Arqui­diocese, N. e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença.

T. Fazei de nós uma perfeita oferenda!

2C. E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confir­mai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o Papa Bento, o nosso bispo Odilo, com os Bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes.

T. Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!

Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro.

T. Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!

3C. Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso.

T. A todos saciai com vossa glória!

Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça.

CP ou CC. Por Cristo,…

T. Amém.

 

16. RITO DA COMUNHÃO

17. CANTO DE COMUNHÃO (Fx 5)

Cristo ressuscitou e nós com Ele! * Aleluia, aleluia!

1. Bendito seja o Pai de Jesus, * que nos cobriu de bênçãos celestes.

2. Nós vos louvamos e bendizemos, * porque a luz de Jesus dissipou nossas trevas.

3. Nós vos louvamos e bendizemos, * porque em nós derramastes o Espírito Santo.

4. Nós vos louvamos e bendizemos, * nesta celebração da vitória de Cristo!

5. Nós vos louvamos e bendizemos, * por tudo que em nós por Jesus operastes.

 

18. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, olhai com bondade o vosso povo e concedei aos que renovastes pelos vossos sacramentos a graça de chegar um dia à glória da ressurreição da carne. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

19.  ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

T. Ó São Paulo, /Patrono de nossa Arquidiocese,/discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

20. BÊNÇÃO E DESPEDIDA MR p. 523

21. CANTO FINAL  (HL 2, p. 175 – CO311)

O Senhor ressurgiu, ale­luia, aleluia! * É o Cordei­ro pascal, *aleluia, aleluia! *Imolado por nós, aleluia, aleluia! *É o Cristo, Senhor, ele vive e venceu, ale­luia!

1. O Cristo Senhor ressuscitou, a nossa esperança realizou; vencida a morte para sempre, triunfa a vida eternamente!

2. O Cristo remiu a seus irmãos, * ao Pai os conduziu por sua mão; * no Espírito Santo unida esteja * a família de Deus, que é a Igreja!

3. Cristo, nossa Páscoa, se imolou, * seu Sangue da morte nos livrou: * Incólumes o mar atravessamos * e à Terra prometida caminhamos!

Ordenação de Diáconos Permanentes

No próximo sábado, dia 14 de maio, na igreja de Santana, às 15h00.

 

Músicas:

Hinário Litúrgico2 HL2 CD Liturgia X – XVI – Paulus – Cantos e Orações (CO)-Vozes

LEITURAS DA SEMANA: de 9 a 15 de maio de  2011

l 2ª-: At 6, 8-15; Sl 118 (119), 23-24. 26-27. 29-30 (R/. 1b); Jo 6, 22-29

l3ª-: At 7, 51 – 8, 1ª; Sl 30 (31), 3cd-4. 6ab e 7b e 8a. 17 e 21ab (R/. 6a); Jo 6, 30-35

l4ª-: At 8, 1b-8; Sl 65 (66), 1-3a. 4-5. 6-7a (R/. 1); Jo 6,35-40

l5ª-: At 8, 26-40; Sl 65 (66), 8-9. 16-17. 20 (R/. 1); Jo 6, 44-51

l6ª-: At 9, 1-20; Sl 116 (117), 1. 2 (R/. Mc 16,15); Jo 6, 52-59 Ou, prs. da memória: Is 61, 9-11; Sl 44(45), 11-12. 14-15. 16-17 (R/. 11a); Lc 11, 27-28

lSab.-: At 1,15-17. 20-26; Sl 112(113), 12. 3-4. 5-6. 7-8 (R/. cf. 8); Jo 15,9-17

l4º Dom. da Páscoa At 2, 14a. 36-41; Sl 22 (23), 1-3a. 3b-4. 5. 6 (R/.cf. 1. 2c); 1Pd 2, 20b-25; Jo 10, 1-10

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/liturgia/folheto_povo_de_deus_anoA_pascoa_03domingo.htm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: