• SÃO PAULO • 10 DE JULHO DE 2011 • ANO 35 • Lt. 06 • Nº. 42 • A •

15º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 Anim. Hoje, como acontece em toda Eucaristia, ouviremos a Palavra de Deus semeada em nossos corações. Sejamos o campo fértil onde as sementes produzam muitos frutos, pois a Páscoa de Cristo não foi em vão, como não é em vão a chuva que irriga a terra e faz germinar as sementes. De fato, o Senhor colocou-se gloriosamente à destra de Deus Pai depois de ter operado a salvação do mundo por meio do seu Mistério Pascal. Celebremos com entusiasmo o Mistério da nossa salvação.

 

RITOS INICIAIS

1. ABERTURA Sl 32(33) (CD VI fx 19)

Assim que a tua glória * revelar-se, Senhor, perante a história, * tua face contemplarei * e satisfeito pra sempre eu ficarei.

1. Alegrai-vos no Senhor! * Quem é bom, venha * louvar! * Peguem logo o violão * e o pandeiro pra tocar. * Para ele um canto novo * vamos, gente, improvisar.

2. Ele cumpre o que promete; * podem nele confiar! * Ele ama o que é direito * e ele sabe bem julgar. * Sua palavra fez o céu, * fez a terra e fez o mar.

3. Ele faz do mar um açude * e governa os oceanos. * Toda a terra a ele teme, * mesmo os corações humanos. * Tudo aquilo que ele diz, * não nos causa desenganos.

4. Põe abaixo os planos todos * desses povos poderosos. * E derruba os pensamentos * dos malvados orgulhosos. * Mas os planos que ele faz * vão sair vitoriosos.

 

2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T. Amém.

P. A graça de nosso Senhor Jesus Cris­to, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.

T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

3. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai.

(Silêncio)

Confessemos os nossos pecados:

T. Confesso a Deus todo-podero­so e a vós, irmãos e irmãs, que pequei muitas vezes por pen­sa­mentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos e a vós, irmãos e irmãs, que ro­gueis por mim a Deus, nosso Senhor.

P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

T. Amém.

Kyrie

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

P. Cristo, tende piedade de nós.

T. Cristo, tende piedade de nós.

P. Senhor, tende piedade de nós.

T. Senhor, tende piedade de nós.

 

4. GLÓRIA (preferencialmente cantado)

P. Glória a Deus nas alturas, T. e paz na terra aos homens por Ele amados. / Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso. / nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos, nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. / Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

 

5. ORAÇÃO

P. Oremos (silêncio): Ó Deus, que mostrais a luz da verdade aos que erram para retomarem o bom caminho, dai a todos os que professam a fé rejeitar o que não convém ao cristão, e abraçar tudo o que é digno deste nome. Por N.S.J.C.

T. Amém.

 

lITURGIA DA PALAVRA

Anim. Abramos os nossos corações à Palavra de Deus como um terreno fértil, que acolhe a semente e a faz germinar e frutificar cem vezes mais.

 

6. PRIMEIRA LEITURA (Is 55,10-11)

Leitura do Livro do Profeta Isaías

Isto diz o Senhor:

10“Assim como a chuva e a neve descem do céu

e para lá não voltam mais,

mas vêm irrigar e fecundar a terra,

e fazê-la germinar

e dar semente, para o plantio e para a alimentação,

11assim a palavra que sair de minha boca:

não voltará para mim vazia;

antes, realizará tudo que for de minha vontade

e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

7. SALMO RESPONSORIAL 64(65) (CD VI Fx 21)

A semente caiu em terra boa e deu fruto. (bis)

1. Visitais a nossa terra com as chuvas * e transborda de fartura. * Rios de Deus, que vêm dos céus, derramam águas * e preparais o nosso trigo.

2. É assim que preparais a nossa terra: * vós a regais e a aplainais; * os seus sulcos com a chuva amoleceis * e abençoais as sementeiras.

3. O ano todo coroais com vossos dons, * os vossos passos são fecun­dos; * transborda a fartura onde pas­sais, * brotam pastos no deserto.

4. As colinas se enfeitam de alegria * e os campos, de rebanhos; * nossos vales se revestem de trigais: * tudo canta de alegria.

 

8. SEGUNDA LEITURA – (Rm 8,18-23)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

18Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente

nem merecem ser comparados com a glória

que deve ser revelada em nós.

19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente

o momento de se revelarem os filhos de Deus.

20Pois a criação ficou sujeita à vaidade,

não por sua livre vontade,

mas por sua dependência daquele que a sujeitou;

21também ela espera ser libertada

da escravidão da corrupção

e, assim, participar da liberdade

e da glória dos filhos de Deus.

22Com efeito, sabemos que toda a criação,

até o tempo presente,

está gemendo como que em dores de parto.

23E não somente ela, mas nós também,

que temos os primeiros frutos do Espírito,

estamos interiormente gemendo,

aguardando a adoção filial

e a libertação para o nosso corpo.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(CD VI Fx 20)

 Aleluia, Aleluia, Aleluia! (bis)

Semente é de Deus a Palavra, * o Cristo é o semeador, * todo aquele que o encontra, * vida eterna encontrou!

 

10. EVANGELHO (Mt 13,1-23)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P.1Naquele dia, Jesus saiu de casa

e foi sentar-se às margens do mar da Galiléia.

2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele.

Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se,

enquanto a multidão ficava de pé, na praia.

3E disse-lhes muitas coisas em parábolas:

“O semeador saiu para semear.

4Enquanto semeava,

algumas sementes caíram à beira do caminho,

e os pássaros vieram e as comeram.

5Outras sementes caíram em terreno pedregoso,

onde não havia muita terra.

As sementes logo brotaram,

porque a terra não era profunda.

6Mas, quando o sol apareceu,

as plantas ficaram queimadas e secaram,

porque não tinham raiz.

7Outras sementes caíram no meio dos espinhos.

Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.

8Outras sementes, porém, caíram em terra boa,

e produziram à base de cem,

de sessenta e de trinta frutos por semente.

9Quem tem ouvidos, ouça!”

10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus:

“Por que tu falas ao povo em parábolas?”

11Jesus respondeu:

“Porque a vós foi dado o conhecimento

dos mistérios do Reino dos Céus,

mas a eles não é dado.

12Pois à pessoa que tem,

será dado ainda mais, e terá em abundância;

mas à pessoa que não tem,

será tirado até o pouco que tem.

13É por isso que eu lhes falo em parábolas:

porque olhando, eles não veem,

e ouvindo, eles não escutam, nem compreendem.

14Deste modo se cumpre neles a profecia de Isaías:

‘Havereis de ouvir, sem nada entender.

Havereis de olhar, sem nada ver.

15Porque o coração deste povo se tornou insensível.

Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos,

para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos,

nem compreender com o coração,

de modo que se convertam e eu os cure’.

16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem

e vossos ouvidos ouvem.

17Em verdade vos digo,

muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes,

e não viram, desejaram ouvir o que ouvis,

e não ouviram.

18Ouvi, portanto, a parábola do semeador:

19Todo aquele que ouve a palavra do Reino

e não a compreende,

vem o maligno e rouba o que foi semeado em seu coração.

Este é o que foi semeado à beira do caminho.

20A semente que caiu em terreno pedregoso

é aquele que ouve a palavra

e logo a recebe com alegria;

21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento:

quando chega o sofrimento ou a perseguição,

por causa da palavra,

ele desiste logo.

22A semente que caiu no meio dos espinhos

é aquele que ouve a palavra,

mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza

sufocam a palavra, e ele não dá fruto.

23A semente que caiu em boa terra

é aquele que ouve a palavra e a compreende.

Esse produz fruto.

Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

 

11. HOMIIA

 

12. PROFISSÃO DE FÉ

P. Creio em Deus Pai todo-poderoso / T. criador do céu e da terra,/ e em Jesus Cristo seu único Filho, nosso Senhor, / que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; /nasceu da Virgem Maria;/ padeceu sob Pôncio Pilatos, / foi crucificado, morto e sepultado. / Desceu à mansão dos mortos; /ressuscitou ao terceiro dia, / subiu aos céus; / está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, / donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. / Creio no Espírito Santo; / na Santa Igreja Católica; / na comunhão dos santos; / na remissão dos pecados; / na ressurreição da carne; / na vida eterna.

 

13. ORAÇÃO DOS FIÉIS

P. Irmãos e irmãs, elevemos a Deus Pai nossas preces, na esperança de que as leituras que ouvimos, como sementes que caem em terra boa, produzam frutos de transformação pessoal e comunitária. Rezemos:

T. Atendei, Senhor, ao nosso clamor!

1. Dai à vossa Igreja a constância do semeador e a persistência da missão.

2. Despertai no mundo lideranças a serviço do bem e da verdade.

3. Abençoai a juventude cristã, para que seja semeadora de paz.

4. Consolai os que mais sofrem e dai-lhes coragem e resistência.

5. Fazei-nos espalhar as sementes do Reino no mundo inteiro.

(Outras preces comunitárias)

P. Tudo isso vós pedimos, ó Pai, por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

lITURGIA EUCARÍSTICA

14. APRESENTAÇÃO DAS OFERENDAS (CD VI Fx 14)

1. Bendito e louvado seja o Pai nosso criador. * O pão que nós recebemos é prova do seu amor. * O pão que nós recebemos é prova do seu amor. * É o fruto de sua terra e do povo trabalhador. * O fruto de sua terra, do povo traba­lhador, * na missa é trans­­­formado no Corpo do Salvador.

Bendito seja Deus, bendito seu amor. * Bendito seja Deus Pai onipotente, nosso Cria­dor. (bis)

2. Bendito e louvado seja o Pai nosso criador. * O vinho que recebemos é prova do seu amor. * O vinho que recebemos é prova do seu amor. * É o fruto de sua terra do povo trabalhador. * O fruto de sua terra e do povo trabalhador * na missa é transformado no Sangue do Salvador.

 

15. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

P. Orai, irmãos e irmãs…

T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.

P. Acolhei, ó Deus, as oferendas da vossa Igreja em oração, e fazei crescer em santidade os fiéis que participam deste sacrifício. Por Cristo, nosso Senhor.

T. Amém.

 

16. ORAÇÃO EUCARÍSTICA V (MR, p. 495)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Corações ao alto.

T. O nosso coração está em Deus.

P. Demos graças ao Nosso Senhor Deus.

T. É nosso dever e nossa salvação.

P. É justo e nos faz todos ser mais santos louvar a vós, ó Pai, no mundo inteiro, de dia e de noite, agradecendo com Cristo, vosso Filho, nosso irmão. É ele o sacerdote verdadeiro que sempre se oferece por nós todos, mandando que se faça a mesma coisa que fez naquela ceia derradeira. Por isso, aqui estamos bem unidos, louvando e agradecendo com alegria, juntando nossa voz à voz dos anjos e à voz dos santos todos, pra cantar (dizer):

T. Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!

CP. Senhor, vós que sempre quisestes ficar muito perto de nós, vivendo conosco no Cristo, falando conosco por ele,

CC. mandai vosso Espírito Santo, a fim de que as nossas ofertas se mudem no Corpo V e no Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.

T. Mandai vosso Espírito Santo!

Na noite em que ia ser entregue, ceando com seus apóstolos, Jesus, tendo o pão em suas mãos, olhou para o céu e deu graças, partiu o pão e o entregou a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Do mesmo modo, no fim da ceia, tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo:

TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS, PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Tudo isto é mistério da fé!

T. Toda vez que se come deste Pão, toda vez que se bebe deste Vinho, se recorda a paixão de Jesus Cristo e se fica esperando sua volta.

P. Recordamos, ó Pai, neste momento, a paixão de Jesus, nosso Senhor, sua ressurreição e ascensão; nós queremos a vós oferecer este Pão que alimenta e que dá vida, este Vinho que nos salva e dá coragem.

T. Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!

E quando recebermos Pão e Vinho, o Corpo e Sangue dele oferecidos, o Espírito nos una num só corpo, pra sermos um só povo em seu amor.

T. O Espírito nos una num só corpo!

1C. Protegei vossa Igreja que caminha nas estradas do mundo rumo ao céu, cada dia renovando a esperança de chegar junto a vós, na vossa paz.

T. Caminhamos na estrada de Jesus!

2C. Dai ao Santo Padre, o Papa Bento ser bem firme na Fé, na caridade e a Odilo, que é bispo desta Igreja, muita luz pra guiar o seu rebanho.

T. Caminhamos na estrada de Jesus!

3C. Esperamos entrar na vida eterna com a Virgem, Mãe de Deus e da Igreja, os apóstolos e todos os santos, que na vida souberam amar Cristo e seus irmãos.

T. Esperamos entrar na vida eterna!

4C. A todos que chamastes para outra vida na vossa amizade, e aos marcados com o sinal da fé, abrindo vossos braços, acolhei-os. Que vivam para sempre bem felizes no reino que para todos preparastes.

T. A todos dai a luz que não se apaga!

CP. E a nós, que agora estamos reunidos e somos povo santo e pecador, dai força para construirmos juntos o vosso reino que também é nosso.

P. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

T. Amém.

 

RITO DA COMUNHÃO

17. RITO DA COMUNHÃO

P. Rezemos com amor e confiança a oração que o Senhor nos ensinou:

T. Pai nosso…

P. Livrai-nos de todos os males,…

T. Vosso é o reino, o poder e a glória para sempre!

P. Senhor Jesus Cristo, …

T. Amém.

P. A paz do Senhor …

T. O amor de Cristo nos uniu.

P. Irmãos e irmãs, saudai-vos em Cristo Jesus.

T. Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. / Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, dai-nos a paz.

P. Felizes os convidados…

T. Senhor, eu não sou digno(a) de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo(a).

 

18. CANTO DE COMUNHÃO Sl. 118(119)

(CD VI Fx 22)

Terra boa é aquele que ouviu * e a palavra de Deus praticou: *//a semente na terra caiu *e de terra tão boa brotou!// (bis)

1. Feliz quem anda com a verdade, * na lei de Deus, com integridade! * Feliz quem guarda seu mandamento * no coração, no pensamento!

2. Ah! Quem me dera, que, em meu andar, * teus mandamentos possa eu guardar! * Se os mandamentos obedecer, * não vai o mal acontecer!

3. Quando tuas leis eu aprender, * vou te louvar e agradecer! * Eu vou guardar teu mandamento, * mas, não me deixes no esquecimento.

4. Os que as maldades sabem evitar, * a estrada certa vão encontrar! * Senhor, tu deste os teus mandados, * para que sejam sempre guardados!

 

19. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO

P. Oremos (silêncio): Alimentados pela vossa Eucaristia, nós vos pedimos, ó Deus, que cresça em nós a vossa salvação cada vez que celebramos este mistério. Por Cristo, nosso Senhor.       

T. Amém.

 

20. ORAÇÃO AO NOSSO PATRONO

Ó São Paulo, /Santo Patrono de nossa Arquidiocese, /discípulo e missionário de Jesus Cristo:/ ensina-nos a acolher a Palavra de Deus / e abre nossos olhos à verdade do Evangelho./ Conduze-nos ao encontro com Jesus, / contagia-nos com a fé que te animou/ e infunde em nós coragem e ardor missionário, / para testemunharmos a todos / que Deus habita esta Cidade imensa /e tem amor pelo seu povo! /Intercede por nós e pela Igreja de São Paulo, / ó santo apóstolo de Jesus Cristo! Amém.

 

RITOS FINAIS

21. BÊNÇÃO E DESPEDIDA – MR 525

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Deus vos abençoe e vos guarde.

T. Amém.

P. Ele vos mostre sua face e se compadeça de vós.

T. Amém.

P. Volva para vós o seu olhar e vos dê a sua paz.

T. Amém.

P. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho V e Espírito Santo.

T. Amém.

P. Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe.

T. Graças a Deus.

 

22. CANTO FINAL – CO 1425)

1. Quando o dia da paz renascer, * quando o sol da esperança brilhar, * eu vou cantar! • Quando o povo nas ruas sorrir, * e a roseira de novo florir, * eu vou cantar!• Quando as cercas caírem no chão * quando as mesas se encherem de pão, * eu vou cantar! • Quando os muros que cercam os jardins, * destruídos, então os jasmins * vão perfumar.

Vai ser tão bonito se ouvir a canção, * cantada de novo. * No olhar do homem a certeza do irmão: * reinado do povo.

2. Quando as armas da destruição, * destruídas em cada nação, * eu vou sonhar! • E o decreto que encerra a opressão, * assinado só no coração, * vai triunfar! * • Quando a voz da verdade se ouvir * e a mentira não mais existir, * será enfim, • tempo novo de eterna justiça, * sem mais ódio, sem sangue ou cobiça: * vai ser assim.

 

 

Músicas:

• CD Liturgia VI – (Ed. Paulus)

• CO Cantos e Orações (Ed. Vozes)

 

 LEITURAS DA SEMANA: de 11 a 17 de Julho de 2011

 

l 2ª-: Ex 1, 8-14.22; Sl 123 (124), 1-3. 4-6. 7-8 (R/. 8a); Mt 10, 34 – 11, 1

l 3ª-: Ex 2, 1-15ª; Sl 68 (69), 3. 14. 30-31. 33-34 (R/. cf. 33); Mt 11, 20-24

l 4ª-: Ex 3, 1-6.9-12; Sl 102 (103), 1-2. 3-4. 6-7 (R/. 8a); Mt 11, 25-27

l 5ª-: Ex 3, 13-20; Sl 104 (105), 1 e 5. 8-9. 24-25. 26-27 (R/. 8a); Mt 11, 28-30

l 6ª-: Ex 11, 10 – 12, 14; Sl 115 (116B), 12-13. 15-16. 17-18 (R/. 13); Mt 12, 1-8

l Sáb. Zc 2, 14-17; Cânt.: Lc 1, 46-47. 48-49. 50-51. 52-53. 54-55 (R/. 49); Mt 12, 46-50

l 16º DTC Sb 12, 13.16-19; Sl 85 (86), 5-6. 9-10. 15-16a (R/. 5a); Rm 8, 26-27; Mt 13, 24-43

Retirado:http://www.arquidiocesedesaopaulo.org.br/?q=pt-br/node/163

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: